Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de áreas suscetíveis a escorregamentos rasos no município de Itaóca (Vale do Rio Ribeira - SP)

Processo: 16/20363-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Bianca Carvalho Vieira
Beneficiário:José Eduardo Bonini
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/09583-0 - Aplicação do Sistema de Informações Geográficas System for Automated Geoscientific Analyses na identificação de áreas suscetíveis a escorregamentos rasos utilizando modelos matemáticos em bases físicas, BE.EP.IC
Assunto(s):Geomorfologia   Modelos matemáticos   Escorregamento dos solos   Previsões   Sedimentos

Resumo

Vários métodos são usados usualmente para prever escorregamentos rasos em escalas de bacias hidrográficas. Dentre eles os modelos matemáticos em bases físicas apresentam vantagens por descrever fisicamente o processo por meio de equações matemáticas. Desta forma, o objetivo principal desta pesquisa consiste na identificação de áreas suscetíveis a escorregamentos rasos usando o modelo matemático SHALSTAB e valores geotécnicos e hidrológicos distribuídos utilizando o System for Automated Geoscientific Analyses. Foi selecionada uma bacia piloto na Serra do Mar, chamada Guarda-Mão e localizada no Vale do Ribeira de Iguape, devido a centenas de escorregamentos e uma grande corrida de detritos gerada após intensas chuvas em janeiro de 2014. Os métodos foram divididos em 3 etapas: (a) levantamento dos parâmetros geotécnicos, hidrológicos e cartográficos, e; (b) mapas de Suscetibilidade usando o modelo SHALSTAB dentro do SAGA e (c) estimativa do volume de sedimentos que podem alcançar as corridas de detritos. Os principais produtos gerados por este projeto serão os mapas de suscetibilidade a escorregamentos translacionais rasos utilizando valores distribuídos (ex. coesão) e a estimativa do volume de sedimentos que poderá alcançar as principais redes de drenagem e aumentar a capacidade de transporte e a magnitude das corridas de detritos. (AU)