Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção in vitro do Zika vírus (ZIKV) em plaquetas provenientes de indivíduos não expostos ao vírus

Processo: 16/20483-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2017
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:REJANE MARIA TOMMASINI GROTTO
Beneficiário:Driéle Bretones dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Plaquetas sanguíneas   Vírus Zika   Infecções por Flaviviridae   Técnicas in vitro

Resumo

Plaquetas são fragmentos citoplasmáticos de megacariócitos oriundos da medula óssea que mantêm permeabilidade vascular e atuam na coagulação do sangue. Estudos recentes já associaram as plaquetas como carreadores de vírus na circulação de pacientes infectados. As plaquetas já foram associadas ao carreamento do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), Vírus da Hepatite C (VHC) e, Vírus da Dengue. O ZIKV é um vírus emergente da família Flaviviridae que infecta células dendríticas, epiteliais, queratinócitos e fibroblastos, promovendo febres e síndromes encefálicas, como a Síndrome de Guillain-Barré e microcefalia. Ainda não é conhecido se as plaquetas carreiam o ZIKV de maneira similar aos demais vírus. Nesse contexto, o objetivo deste estudo é verificar se ZIKV interage com plaquetas in vitro. Plaquetas de doadores saudáveis serão incubadas in vitro com cultura celular contendo ZIKV. Depois da incubação as plaquetas serão lavadas para que todo o vírus livre seja eliminado. RNA viral extraído do pellet de plaquetas será utilizado como fonte para uma reação de qRT-PCR para detecção qualitativa do vírus nas plaquetas infectadas. (AU)