Busca avançada
Ano de início
Entree

A interpretação ontológica de György Lukács da teoria do valor de Marx

Processo: 16/17054-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 15 de março de 2017
Vigência (Término): 14 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Fundamentos da Sociologia
Pesquisador responsável:Jesus José Ranieri
Beneficiário:Murillo Augusto de Souza van der Laan
Supervisor no Exterior: Ingo Elbe
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Carl von Ossietzky University, Alemanha  
Vinculado à bolsa:14/10520-4 - O valor na ontologia lukácsiana: avanços e limites, BP.DR
Assunto(s):Ontologia (filosofia)   Práxis   Marxismo   Valor (economia)

Resumo

Em fins da década de 1950, György Lukács propôs um renascimento do marxismo que fizesse frente tanto aos desenvolvimentos da filosofia burguesa quanto às deformações teóricas empregadas pela manipulação stalinista. Mesmo sem conseguir concluir suas investigações nos legou uma leitura ontológica de Marx. No centro desta perspectiva encontramos o trabalho enquanto elemento fundante do ser social e modelo da práxis. Na exploração deste complexo, por sua vez, estão as categorias de valor e valor econômico que este projeto assume como objeto. Avançamos a hipótese de que a concepção lukácsiana é um campo fecundo para interpretação dos valores no interior do ser social, em especial do valor econômico, uma vez que empreende uma compreensão dialética da objetividade e da subjetividade no plano das valorações. Todavia, no que tange o valor econômico, Lukács extrapola a compreensão da teoria do valor trabalho de Marx, aplicando-a as mais diversas formações sociais. Isto compromete também, a nosso ver, sua perspectiva de emancipação humana.