Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica evolutiva em mutualismos: seleção recíproca e efeitos em cascata entre localidades

Processo: 16/20739-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 07 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Paulo Roberto Guimarães Junior
Beneficiário:Paulo Roberto Guimarães Junior
Anfitrião: John N. Thompson
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Santa Cruz (UC Santa Cruz), Estados Unidos  
Assunto(s):Redes ecológicas   Redes complexas

Resumo

Mutualismos são interações ecológicas que influenciam a dinâmica ecológica e evolutiva das espécies que interagem. Do ponto de vista teórico, as implicações evolutivas dos mutualismos são geralmente estudadas por meio de modelos que descrevem como pares de espécies coevoluem. Porém, mutualismos formam redes de interações em uma dada comunidade ecológica. Por conseguinte, há a possibilidade de efeitos indiretos que se propaguem nessas redes de interações influenciarem a dinâmica evolutiva. Recentemente, a compreensão de como esses efeitos em cascata podem influenciar a dinâmica evolutiva em mutualismos começou a ser explorada por meio de modelos matemáticos que incorporam a estrutura de redes de interações. Neste projeto, investigaremos como efeitos indiretos podem influenciar dois aspectos fundamentais da dinâmicas coevolutiva. Em primeiro lugar, efeitos indiretos podem gerar efeitos seletivos recíprocos entre espécies que não interagem. Em segundo lugar, efeitos indiretos podem conectar a dinâmica coevolutiva de duas localidades por meio de efeitos em cascata. Estudaremos a emergência de padrões de seleção recíproca e efeitos em cascata em modelos de tempo discreto que descrevem a dinâmica coevolutiva em redes mutualistas. Parametrizaremos esses modelos evolutivos com dados sobre interações mutualistas no campo. Em um contexto mais amplo, pretendemos contribuir para o surgimento de uma teoria que integre os padrões de interações de interações ecológicas, a dinâmica coevolutiva de espécies interagentes e a variação espacial na composição de espécies.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Interações indiretas podem ter maior peso na evolução de espécies em redes ecológicas