Busca avançada
Ano de início
Entree

Plano de trabalho: bolsista II - Eco-Evo-Devo

Processo: 16/23675-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia
Pesquisador responsável:Tiana Kohlsdorf
Beneficiário:Melissa Bars Closel
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/07650-6 - Ecologia, evolução e desenvolvimento (Eco-Evo-Devo) na herpetofauna brasileira, AP.TEM
Assunto(s):Lissamphibia   Embriogênese animal   Ecologia animal   Evolução animal

Resumo

O presente Projeto Temático também incorpora sub-projetos dentro da categoria Eco-Evo-Devo, implementados mediante a manipulação de condições ambientais, como temperatura, durante o desenvolvimento embrionário de lagartos Tropidurus e o desenvolvimento larval de girinos de Rhinella. Tanto a obtenção de ovos de Tropidurus a partir de fêmeas grávidas quanto a obtenção de desovas de Rhinella envolve o cuidado com animais vivos em laboratório, viabilizado mediante a presença de um bolsista de Treinamento Técnico dedicado à manutenção dos animais em cativeiro, ao cuidado com ovos e girinos, e à triagem de material organizado segundo as condições experimentais de manipulação de variáveis ambientais. O bolsista em questão estará envolvido diretamente com alimentação, limpeza e manutenção dos terrários e aquários, além de auxiliar no processamento do material resultante desses tratamentos em termos de fixação e armazenamento de espécimes e de realização de testes funcionais complementares. Caberá ao bolsista em questão: (1) identificar todos os espécimes que chegam ao laboratório provenientes de coleta e distribuir embriões e girinos segundo os tratamentos experimentais previstos; (2) obter e organizar amostras de tecido em álcool 100% ou em RNAlater para posterior acesso a informações genéticas e realização de transcritomas; (3) fixar espécimes resultantes das manipulações de condições ambientais de desenvolvimento em formol 10%; (4) organizar e manter os espécimes em álcool 70%; (5) organizar o biotério do LET/USP e manter animais temporariamente em cativeiro, cuidando de sua alimentação e das condições de limpeza e temperatura dos terrários e aquários; (6) cuidar dos ovos de Squamata e dos girinos de Anura, com atenção particular para a manutenção das condições experimentais previstas; (7) auxiliar na compra de insumos associados à manutenção de animais no biotério e à preservação de espécimes fixados. (AU)