Busca avançada
Ano de início
Entree

Ruptura de barreira endotelial em órgãos imuno-privilegiados durante a leishmaniose visceral canina espontânea: estudo de proteínas juncionais em células endoteliais do cérebro e de do globo ocular

Processo: 16/23255-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 03 de fevereiro de 2017
Vigência (Término): 02 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Gisele Fabrino Machado
Beneficiário:Gisele Fabrino Machado
Anfitrião: Ingeborg Maria Langohr
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Local de pesquisa: Louisiana State University (LSU), Estados Unidos  
Assunto(s):Sistema nervoso central   Junções íntimas

Resumo

A leishmaniose visceral é uma doença complexa causada por Leishmania donovani e Leishmania infantum com distribuição mundial. Em cães, além dos sintomas clássicos da doença, há descrições de alterações inflamatórias no cérebro, sintomas neurológicos e em alguns casos raros, a presença do parasita. A detecção de anticorpos na câmara anterior de olhos de animais pode estar relacionada com os processos de uveíte no animal infectado. Tanto a inflamação do globo ocular como do encéfalo é um processo controlado e rigoroso que conta com a eficiência de barreiras que impedem o acesso livre de componentes do sangue aos tecidos e que portanto são primordiais para o privilégio imunológico desses órgãos. Com o presente estudo, objetiva-se avaliar as proteínas endoteliais juncionais em vasos do cérebro e do globo oculare de cães com leishmaniose visceral espontânea. Para tanto, utilizaremos a imuno-histoquímica para avaliar as proteínas de junção endotelial (occludina e 5-claudina-5) na barreira hemato-encefálica, barreira sangue-CSF, barreira hemato-aquosa e barreira hemato-retiniana. Os níveis de albumina e IgG no líquido cefalorraquidiano (LCR) e humor aquoso serão quantificados para verificar a função das barreiras e utilizaremos imuno-histoquímica para a detecção de extravasamento perivascular de albumina e IgG. O DNA de Leishmania infantum será pesquisado em amostras de tecido cerebral e em globo oculare utilizando hibridização in situ.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)