Busca avançada
Ano de início
Entree

Onde pacientes brasileiros com câncer morrem? Associação das preferências expressas em vida e a realidade

Processo: 16/19912-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Bianca Sakamoto Ribeiro Paiva
Beneficiário:Viviane Pastorelli Ribeiro
Instituição-sede: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos , SP, Brasil
Assunto(s):Cuidados paliativos na terminalidade da vida   Neoplasias   Oncologia

Resumo

O câncer é uma das principais causas de morte no mundo, sendo assim a identificação e compreensão dos fatores que levam a preferência dos pacientes quanto ao seu local do óbito e o real local do óbito é determinante para o melhor planejamento da assistência à estes pacientes. O ideal seria que o paciente morresse no seu local de preferência, que o seu desejo fosse respeitado. Para os serviços de saúde, atender essas preferências é uma proposta essencial, fazendo parte do cuidado de qualidade e uma medida final para o sucesso na terapia proposta, desde o tratamento paliativo até assistência ao cuidador familiar no período pós-óbito. Esta proposta de pesquisa é de grande relevância em âmbito nacional, pois será investigado um assunto ainda não explorado no Brasil, mais especificamente na área da oncologia e sendo factível de gerar propostas de melhoria nas políticas públicas de saúde. Objetivo: Avaliar o percentual de pacientes com câncer que morrem nos locais de suas preferências. Materiais e métodos: Estudo de coorte, longitudinal, com coleta de dados prospectiva. A pesquisa será realizada na Fundação Pio XII, Hospital de Câncer de Barretos. Pacientes em tratamento paliativo e em cuidados paliativos exclusivos, assim como seus cuidadores familiares serão incluídos no estudo. A amostra será composta por 2994 participantes, que serão avaliados em duas etapas distintas, sendo etapa 1 durante o período de tratamento do paciente e a etapa 2 em um período de 6 a 24 meses após a entrevista na etapa 1. Resultados esperados: Espera-se identificar a preferência do local de óbito dos pacientes brasileiros com câncer e se esta preferência foi atendida e propor medidas mais eficazes que possam atender aos pacientes, seus cuidadores familiares assim como direcionar melhor os cuidados planejados das instituições e profissionais da saúde. Espera-se ainda propor medidas melhorar o planejamento do sistema de saúde pública quanto ao processo de óbito de pacientes com câncer. (AU)