Busca avançada
Ano de início
Entree

Células t engenheiradas para expressar o domínio de reconhecimento de carboidrato de ArtinM para ativar macrófagos e combater a criptococose

Processo: 16/23044-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 22 de maio de 2017
Vigência (Término): 21 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Thiago Aparecido da Silva
Supervisor no Exterior: Pappanaicken Kumaresan
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Texas MD Anderson Cancer Center (MD Anderson), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/04877-2 - Delineamento de novas estratégias terapêuticas, baseadas em reconhecimento de carboidratos, contra a criptococose, BP.PD
Assunto(s):Imunoterapia

Resumo

A interação de células T com células apresentadoras de antígenos (APC), através do complexo entre o receptor de células T (TCR) e peptídeo associado a molécula de MHC, é requerida para recrutar a sinalização e desencadear a ativação de células T. Recentemente, verificou-se que o receptor antigênico quimera (CAR) expresso em células T reconhece proteínas, glicoproteínas, e glicolipídeos como potenciais alvos na superfície celular, de maneira independente da associação com a molécula MHC. A construção de CAR é baseada em quatro segmentos, (i) um dominío de ligação extracelular, (ii) um espaçador, (iii) uma região transmembrana, (iv) uma região de sinalização citoplasmática. O grupo do Dr. Laurence J.N. Cooper apresenta estudos nessa área com o engenheiramento de células T específicas para CD19, fato utilizado no tratamento de células B tumorais para adquirir um eficiente controle do câncer. Um estudo pioneiro que redireciona células T quiméricas para reconhecer carboidrato, foi conduzido pelo grupo do Dr. Cooper e Dr. Kumar, mostrando que essas células T específicas para carboidrato apresentam um efeito terapêutico contra a Aspergilose. Baseado em nossos estudos relacionados a atividade imunomoduladora de lectinas que interagem com N-glicanas de TLR2 e/ou TLR4, propusemos ao Dr. Kumar a construção de células T quiméricas expressando o domínio de reconhecimento de carboidrato (CRD) das lectinas ligantes de TLRs, como a ArtinM, Concanavalina A, WGA. Nossa hipótese considera que as células T quiméricas específicas para carboidratos podem interagir com TLR2 ou TLR4, favorecendo a liberaçãoo de mediadores pró-inflamatórios e induzindo um perfil de resposta Th1. Assim na colaboração aceita pelo Dr. Kumar, planejamos construir células T quiméricas com CRD de lectinas para avaliar a ocorrência da polarização de macrófagos para M1 após incubação com as células T quiméricas. Em seguida, mensurar a atividade fungicida de macrófagos, induzida pelas células T engenheiradas, no contexto da infecção por C. gattii. O projeto considera tecnologias inovadoras para expandir nossos estudos no direcionamento da imunidade através do reconhecimento de carboidrato.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KUMARESAN, PAPPANAICKEN R.; DA SILVA, THIAGO APARECIDO; KONTOYIANNIS, DIMITRIOS P. Methods of Controlling Invasive Fungal Infections Using CD8(+) T Cells. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 8, JAN 8 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.