Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo entre a Paullinia cupana, PC-18 e o magnésio no tumor sólido de Ehrlich: análise da ação antitumoral, antifadiga e antioxidante

Processo: 16/22221-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fernando Luiz Affonso Fonseca
Beneficiário:Felipe Ko Chen
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Antioxidantes   Magnésio   Paullinia cupana   Neoplasias mamárias   Fadiga   Carcinoma de Ehrlich

Resumo

No Brasil e no mundo, a neoplasia está entre as principais causas de mortalidade. Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), estima-se que no biênio 2016-2017 ocorram cerca de 600 mil novos casos de câncer no Brasil, sendo que o câncer de mama, o mais frequente entre as mulheres entre os tumores não melanomas, responsável por 57.960 novos casos (risco estimado de 56,20 casos a cada 100 mil mulheres). Assim, inúmeras pesquisas e estudos têm se dedicado à melhor compreensão desta doença, assim como as repercussões sistêmicas, epidemiologia e tratamento. Dentre as principais queixas daqueles pacientes com câncer de mama tratados com antineoplásicos, a fadiga é uma das que mais prejudicam a qualidade de vida do indivíduo. A análise da fadiga é uma tarefa difícil, uma vez que compõe-se de parâmetros subjetivos e referidos pelo próprio paciente. Desta forma, a descrição da fadiga aborda características gerais, como intensidade, sensação negativa e características temporais, assim como sinais específicos, como falta de energia, fraqueza, sonolência e dificuldade de concentração. As causas da fadiga são, portanto, definidas como físicas (anemia, distúrbios metabólicos e nutrição inapropriada devido à anorexia, náusea, vômitos ou obstruções intestinais); psicológicas (depressão, ansiedade e falta de sono); e, principalmente, relacionada à liberação endógena de citocinas inflamatórias que interferem em inúmeros mecanismos fisiológicos. Dentre as citocinas inflamatórias, podemos citar, baseado em estudo prévios, a interleucina 6 (IL-6), interleucina 1ra (IL-1ra), fator de necrose tumoral RII (TNF RII) e neopterina. Além disso, avaliou-se a participação do SO e de glicocorticóides. Nos pacientes com câncer de mama, notou-se que há um importante papel relacionado ao TNF-± e ao TGF-². O tratamento farmacológico da fadiga ainda é um tema pouco explorado, destacando-se, então, a importância da investigação de tratamentos alternativos não só na ação antitumoral, mas também na ação antifadiga. Estudos mostram indícios satisfatórios de tratamento contra fadiga com Magnesio, PC-18 e extrato de guaraná (Paullinia cupana). Finalmente, o tumor de Ehrlich é uma neoplasia experimental transplantável de origem epitelial maligna espécie-específica que corresponde ao adenocarcinoma mamário do camundongo fêmea. O uso deste tumor como modelo para estudos associados ao câncer de mama é favorável, uma vez que é um tumor relativamente simples de ser transplantado. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BRITOS, TATIANE N.; CASTRO, CARLOS E.; BERTASSOLI, BRUNO M.; PETRI, GIULIANA; FONSECA, FERNANDO L. A.; FERREIRA, FABIO F.; HADDAD, PAULA S. In vivo evaluation of thiol-functionalized superparamagnetic iron oxide nanoparticles. Materials Science & Engineering C-Materials for Biological Applications, v. 99, p. 171-179, JUN 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.