Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento de fortalecimento do quadriceps e treinamento de movimentação articular na osteoartrite de joelho

Processo: 16/24802-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 20 de março de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Stela Márcia Mattiello
Beneficiário:Maria Gabriela Pedroso
Supervisor no Exterior: Paul Devita
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : East Carolina University (ECU), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/19232-4 - A influência da gordura intermuscular e da composição corporal no controle postural em pacientes com osteoartrite de joelho, BP.DD
Assunto(s):Biomecânica   Músculo quadríceps   Osteoartrite do joelho   Fisioterapia   Força muscular   Locomoção

Resumo

A fraqueza do quadríceps é um dos fatores de risco para o desenvolvimento da osteoartrite de joelho (OA), portanto, tem sido foco do programa de fisioterapia e pesquisa científica. Os estudos mostram que todos os programas de exercícios, não apenas o fortalecimento muscular, resultam em melhora dor, incapacidade, equilíbrio e qualidade de vida. Embora o fortalecimento do quadríceps seja amplamente estudado e relacionado com o estado de melhora clínica de pacientes com OA de joelho, não há evidências sobre o mecanismo biomecânico associado ao aumento de força do quadríceps. O objetivo do estudo é comparar os efeitos do fortalecimento do músculo quadríceps vs treinamento de movimento da articulação do joelho na dor, deficiência, controle postural e biomecânica de locomoção em pacientes com OA de joelho. Sugerimos que existe um elemento comum entre os exercícios que desencadeia os resultados benéficos. Além disso, nossa hipótese é que há um elemento comum através do qual o exercício funciona, que é o movimento articular. Métodos / Desenho: 45 adultos, ambos os sexos, com idade entre 40 e 60 anos, com OA tibial do joelho tibiofemoral diagnosticado pelo médico serão recrutados. Eles serão alocados aleatoriamente para treinamento de força, treinamento de movimento ou grupo não treinado (n = 15 cada) após fornecer o termo de consentimento por escrito. A força do quadríceps, a dor no joelho, a incapacidade, o equilíbrio e os movimentos de andar de nível serão medidos utilizando dinamometria isocinética, questionário WOMAC, captura de movimento 3D e plataforma de força antes e após a intervenção de 12 semanas. Os grupos de treinamento participarão em 3 sessões de formação supervisionadas por semana no departamento de PT do ECU. A força muscular, o trabalho e o poder do quadríceps durante a marcha serão quantificados usando os dados da marcha em combinação com um modelo de joelho valioso do tipo músculo-esquelético. Utilizar-se-ão ANOVA de três vias (Grupo x tempo de marcha x tempo) com medidas repetidas de tempo de marcha e testes pós-hoc para identificar diferenças significativas de força, dor, incapacidade, equilíbrio e força do quadríceps, trabalho e potência na marcha. p<0,05). (AU)