Busca avançada
Ano de início
Entree

As relações de gênero segundo a análise das representações cômicas de Aristófanes: um estudo do feminino na sociedade ateniense (séc. V-IV a.C.)

Processo: 16/21000-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Antiga e Medieval
Pesquisador responsável:Margarida Maria de Carvalho
Beneficiário:Bárbara Alexandre Aniceto
Supervisor no Exterior: Naomi Alison Weiss
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Local de pesquisa: Harvard University, Cambridge, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/08263-6 - As relações de gênero segundo a análise das representações cômicas de Aristófanes: um estudo do feminino na sociedade ateniense (Séc. V-IV a.C.), BP.MS
Assunto(s):Grécia Antiga   História da Grécia   Relações de gênero   Comédia

Resumo

Muitos autores defendem que a presença feminina nos enredos de Aristófanes expressava apenas um tom de comicidade das obras e refletia uma preocupação em ridicularizar a imagem da mulher grega. A atuação feminina em suas comédias foi concebida como circunscrita ao espaço privado, às funções familiares e é apresentada pela historiografia através da insígnia negativada do papel feminino na Antiguidade. Ao nos debruçarmos sobre a leitura das peças Lisístrata (411 a.C.), As Tesmoforiantes (411 a.C.) e Assembleia de Mulheres (392 a.C.), produzidas na conjuntura da Guerra do Peloponeso, e posterior derrota de Atenas, temos como hipótese que é possível evidenciar a inclusão da mulher nos espaços públicos atenienses, uma vez que percebemos a ênfase na importância cívica do feminino como veículo de crítica nas peças aristofânicas. Assim, pautado na análise da fonte textual e na história de gênero, o projeto de mestrado objetiva compreender a atuação feminina na sociedade ateniense do V século a.C. a partir da problematização da relação entre o feminino e o masculino, enfatizando a possibilidade do papel feminino ativo. (AU)