Busca avançada
Ano de início
Entree

Fitoquímica e bioprospecção de atividades antioxidante e anti-inflamatória de frutas nativas brasileiras inexploradas

Processo: 16/02926-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Pedro Luiz Rosalen
Beneficiário:Josy Goldoni Lazarini
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Farmacologia   Anti-inflamatórios   Antioxidantes

Resumo

Na busca por novas fontes alternativas de moléculas bioativas, as espécies frutíferas nativas brasileiras fazem parte de um rico acervo de substâncias inexploradas, principalmente pelo elevado teor de compostos com interesses biológicos como os metabólitos secundários, representados pelos carotenoides e flavonoides, que se destacam pelas atividades antioxidante e anti-inflamatória como tem sido objeto de estudos do nosso grupo de pesquisa (FOP/UNICAMP e ESALQ/USP). É notória a necessidade da bioprospecção de novas moléculas e mecanismos anti-inflamatórios uma vez que os fármacos atualmente disponíveis no mercado apresentam, em sua maioria, efeitos adversos que podem inviabilizar certos tratamentos médico e odontológico. Assim, a procura por padrões moleculares inéditos que modulem o processo inflamatório por mecanismos alternativos aos da via clássica é de suma necessidade e de grande interesse para a indústria farmacêutica. Visto que as frutas nativas são uma nova fonte com potencial bioativo, o objetivo deste estudo é investigar o perfil fitoquímico de frutas nativas brasileiras inexploradas, bioprospectando atividades antioxidante e anti-inflamatória, com interesses médico e odontológico, que agregue valor a estas espécies exóticas raras, estimule o consumo para a promoção de saúde, e descubra novos compostos com as atividades pesquisadas, que venham a gerar um produto funcional/terapêutico com adicionais desdobramentos social e econômico. Assim, selecionou-se cinco espécies frutíferas nativas brasileiras para as avaliações das atividades propostas neste projeto, a saber: Psidium myrtoides (Araçá-icica); Citharexylum myrianthum (Jacatuaba); Smilax quinquinervia (Pitanga amarela de cipó); Eugenia stipitata (Araçá-boi) e Byrsonima lancifolia (Muricí guaçú). Os frutos serão colhidos em épocas determinadas, as polpas processadas para obtenção dos extratos hidroetanólicos (80:20, v/v), liofilizadas e armazenadas à -20 ºC. Os cinco extratos serão submetidos à análise fitoquímica por meio de GC/MS, HPLC/DAD, LC - MS/MS e avaliados quanto à atividade antioxidante por meio da capacidade sequestrante de peróxidos e ácido hipocloroso, radical superóxido, ORAC e atividade antioxidante on line por HPLC-DAD-UV. A atividade anti-inflamatória de todos os extratos será avaliada primeiramente por meio dos testes de citotoxicidade em macrófagos RAW 264.7 e análise de expressão gênica relacionada à inflamação, sendo que aquele(s) que apresentar(em) melhor atividade será(ao) selecionado(s) (1ª seleção). O(s) extrato(s) selecionado(s) seguirá(ao) para o biomonitoramento feito por meio dos ensaios in vitro de quimiotaxia de neutrófilos, expressão de moléculas de adesão e rolamento e determinação de mediadores inflamatórios em células RAW 264.7. Com o resultado deste biomonitoramento será(ao) selecionado(s) (2ª seleção) o(s) extrato(s) de melhor atividade. Posteriormente, os extratos que apresentarem melhor atividade na última seleção serão fracionados utilizando sílica gel, que resultará para cada extrato 6 frações de diferentes polaridade. Desta forma, o extrato e sua respectiva fração será submetida ao biomonitoramento além de análises de secretoma e microRNA objetivando uma nova seleção (3ª) a qual elegerá a melhor espécie e sua respectiva fração para os ensaios in vivo pré-clínicos em camundongos, que consistem nos ensaios de migração de neutrófilos induzido por carragenina, expressão de moléculas de adesão e rolamento, determinação de mediadores inflamatórios e microscopia intravital. Por fim os compostos presentes na fração selecionada serão identificados por meio de técnicas cromatográficas (CG/MS, HPLC/DAD e LC-MS/MS). Desta forma, espera-se que este projeto contribua com informações sobre o perfil fitoquímico e das atividades antioxidante e anti-inflamatória de espécies frutíferas nativas, agregando valores à diversidade da flora brasileira e estimulando o interesse à produção agroindustrial e à exploração de suas propriedades funcionais

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FRANCHIN, MARCELO; FREIRES, IRLAN ALMEIDA; LAZARINI, JOSY GOLDONI; NANI, BRUNO DIAS; DA CUNHA, MARCOS GUILHERME; COLON, DAVID FERNANDO; DE ALENCAR, SEVERINO MATIAS; ROSALEN, PEDRO LUIZ. The use of Brazilian propolis for discovery and development of novel anti-inflammatory drugs. EUROPEAN JOURNAL OF MEDICINAL CHEMISTRY, v. 153, n. SI, p. 49-55, JUN 10 2018. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.