Busca avançada
Ano de início
Entree

O federalismo ibérico de Antero de Quental

Processo: 16/19442-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Moderna e Contemporânea
Pesquisador responsável:Francisco Carlos Palomanes Martinho
Beneficiário:Gustavo Cavalcante Zilli
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):História ibérica   Nacionalismo   Federalismo   Portugal   Espanha

Resumo

Portugal e Espanha chegam ao século XX como Estados decadentes e economicamente atrasados. Se por um lado Portugal havia sido humilhado por seu aliado de longa data, a Inglaterra, ao ter-lhe sido exigida a retirada de suas tropas da chamada região do Mapa Cor de Rosa, atual Zimbábue, Zambia e Malawi (Ultimato Inglês de 1890), por outro, a Espanha saía derrotada da guerra Hispano-Americana em 1898, perdendo Cuba e as Filipinas. No auge dos movimentos nacionalistas do século XIX uma voz, entre muitas, advogava que a solução para a o atraso ibérico estaria na formação de uma federação peninsular que garantisse certa unidade ibérica ao mesmo tempo em que garantia o respeito à cultura local e maior autonomia municipal (uma vez que a ideia de federação é por natureza, descentralizadora). Tal era o projeto de Antero de Quental, um intelectual da esquerda portuguesa, republicano e socialista. Muitas eram as propostas de um nacionalismo ibérico, influenciadas pelos movimentos italiano, belgas, poloneses e germânicos, que iam desde uma monarquia peninsular até uma federação republicana. Algumas eram as barreiras para a federação peninsular, como o projeto colonialista português em África, o africanismo espanhol no Marrocos, e os próprios projetos nacionalistas locais que ganhavam força, seja em Portugal, seja em Espanha, ou mesmo ainda nas diferentes nações que compõem a Espanha (como a catalã e a galega, por exemplo). Com base no que foi acima discorrido, este projeto de Iniciação Científica visa poder responder as seguintes questões: Existia uma ideia bem definida de federação ibérica em Antero de Quental? Qual era? Haveria influência direta dos movimentos nacionalistas europeus? Caso existisse, como o intelectual português encarava os projetos coloniais portugueses e africanista espanhol? Seria o colonialismo dos séculos XIX e XX um elemento fundamental para a não realização da união? (AU)