Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica do nitrogênio em um sistema de cultivo usando forrageiras como plantas de cobertura e milho em sucessão

Processo: 16/25253-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Convênio/Acordo: BBSRC, UKRI ; CONFAP ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Pesquisador responsável:Ciro Antonio Rosolem
Beneficiário:Camila da Silva Grassmann
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/50305-8 - A virtual joint centre to deliver enhanced nitrogen use efficiency via an integrated soil-plant systems approach for the UK & Brazil, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/09622-8 - Elucidação dos efeitos de exsudatos de gramíneas forrageiras no ciclo do n e microbiota do solo, BE.EP.DD
Assunto(s):Fertilidade do solo   Adubação   Gramíneas forrageiras   Milho   Nitrogênio

Resumo

Forrageiras do gênero Urochloa podem alterar a dinâmica do nitrogênio (N) no solo, nos processos de amonificação e nitrificação, diminuindo sua oferta ao milho cultivado em sucessão. Objetiva-se, com o presente estudo, verificar o efeito do cultivo das forrageiras Urochloa ruziziensis, Urochloa brizantha e Panicum maximum na dinâmica do N no solo, avaliando: (i) o potencial de nitrificação, (ii) a atividade de organismos amonificadores e nitrificadores, (iii) as possíveis rotas de saída de N do sistema por volatilização de N2O e NH3 ou lixiviação de NO3- e (iv) o efeito no desenvolvimento do milho cultivado em sucessão. Para tal, foi instalado um experimento em um nitossolo vermelho distroférrico de textura argilosa. O delineamento experimental adotado foi o de blocos ao acaso, em esquema fatorial (3x4) com três espécies de gramíneas forrageiras (U. ruziziensis, U. brizantha e P. maximum) e quatro doses de N (0, 70, 140 e 210 kg ha-1) aplicadas para a cultura do milho, com quatro repetições. Ao logo dos anos de experimentação (2016-2019), a cultura do milho está sendo semeada sob semeadura direta após a dessecação das forrageiras. Estão sendo avaliadas as entradas de N no sistema via deposição pela água da chuva e poeira, bem como saídas do nutriente via volatilização de N2O e NH3 e lixiviação de NO3-. Os teores de NH4+ e NO3-, C-total, N-total e N-orgânico no perfil do solo, o potencial de nitrificação e a atividade dos microrganismos amonificadores e nitrificadores também estão sendo estudados. A solução do solo está sendo coletada a 80 cm de profundidade para verificar as perdas de N. A umidade do perfil do solo está sendo monitorada por meio de uma sonda capacitiva (Diviner 2000®) para futura correlação com as concentrações de N no lixiviado. A produção de biomassa está sendo avaliada nas forrageiras e no milho, bem como a produtividade de grãos de milho, além da quantificação o teor de N no tecido vegetal. Os resultados obtidos serão submetidos à análise da variância e apresentando significância serão submetidos ao teste T a 5% para o fator gramíneas e de regressão para as doses de N. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Integração entre lavoura e gado aumenta rentabilidade e diminui emissões 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.