Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações de metilação do DNA durante o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos

Processo: 16/25374-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Síntia Iole Nogueira Belangero
Beneficiário:Leticia Maria Nery Spindola
Supervisor no Exterior: Hakon Hakonarson
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Children's Hospital of Philadelphia (CHOP), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/10733-0 - Análise de Metilação do DNA em sangue associados à emergência de sintomas psiquiátricos e a fatores de estresses ambientais na adolescência, BP.DR
Assunto(s):Genética   Biologia computacional   Riscos ambientais   Metilação de DNA   Transtornos mentais

Resumo

Os transtornos psiquiátricos são doenças complexas. Apesar de décadas de pesquisa, ainda pouco se sabe sobre suas bases biológicas. O estudo de dimensões básicas do funcionamento dos transtornos mentais (por exemplo, sintomas psiquiátricos) em vez do diagnóstico propriamente dito pode ajudar a melhor compreender a natureza desses transtornos. Os objetivos do presente estudo são: 1) comparar a metilação do DNA em sangue periférico de crianças e adolescentes com poucos sintomas psiquiátricos em um primeiro momento (baseline) que apresentaram muitos sintomas após 3 anos de seguimento (comparação categórica); 2) identificar alterações de metilação associadas com sintomas de transtornos psiquiátricos (comparação contínua); 3) identificar alterações de metilação associadas com fatores ambientais de risco vivenciados pelos participantes durante os 3 anos de seguimento; 4) verificar se os genes localizados perto de regiões diferencialmente metiladas apresentam padrões de expressão diferencial; e 5) aprender a realizar e analisar dados de microarray de metilação de DNA e microarray de expressão gênica utilizando ferramentas de bioinformática. Para isso, iremos investigar participantes de um grande estudo comunitário prospectivo do Brasil, intitulado coorte de alto risco para transtornos mentais (do inglês, High Risk Cohort (HRC) for Psychiatric Disorders). Essa coorte possui informações clínicas e genéticas dos participantes em dois momentos distintos (fase 1 - baseline; e fase 2: seguimento de 3 anos). Em ambas as fases, os sintomas psiquiátricos foram medidos por meio do questionário Child Behavior Checklist (CBCL). Para o presente estudos, selecionaremos 24 indivíduos da coorte que apresentaram escore na CBCL < 30 na fase 1 (poucos sintomas psiquiátricos) e que aumentaram o escore dessa escala em mais de 16 unidades (média = 29, DP = 9) após 3 anos de seguimento, representando um grupo com muitos sintomas psiquiátricos na fase 2. Para geração dos dados de metilação, realizaremos microarray de metilação utilizando o Infinium Methylation EPIC BeadChip. Tanto o microarray de metilação quanto todas as análises e o treinamento em bioinformática serão realizados em colaboração com o grupo do Dr. Hakon Hakonarson, do Center for Applied Genomics do The Children's Hospital of Philadelphia. Para a execução do nosso 4º objetivo, utilizaremos os dados gerados por outro projeto do nosso grupo que também tem apoio da FAPESP (FAPESP Nº 2017/05339-7). Os resultados deste estudo podem contribuir para uma melhor compreensão das bases biológicas dos transtornos psiquiátrico em crianças e adolescentes. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.