Busca avançada
Ano de início
Entree

Distribuição vertical das nuvens na Amazônia Central a partir das medidas de um tetômetro

Processo: 16/24312-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Eduardo Landulfo
Beneficiário:Amanda Vieira dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/05014-0 - GoAmazon: interação da pluma urbana de Manaus com emissões biogênicas da Floresta Amazônica, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Sensoriamento remoto   LIDAR   Amazônia   Nuvens   Nebulosidade

Resumo

Nuvens são importantes agentes do sistema climático global por poderem alterar significativamente o balanço de radiação, afetando o sistema em escalas de tempo de minutos até mudanças climáticas. Alguns tipos de nuvem refletem significativamente a radiação solar, resfriando o planeta, enquanto outros são semi-transparentes mas ainda bloqueiam a saída de radiação térmica emitida pela superfície e que seria perdida para o espaço, aquecendo o planeta. Apesar de sua importância, os processos físicos que controlam as nuvens ainda não são totalmente conhecidos e faltam observações continuas com alta resolução temporal e espacial para resolvê-los. Modelos numéricos, por exemplo, falham em reproduzir o ciclo diurno tanto da nebulosidade, quanto da precipitação. Neste projeto de iniciação científica a aluna irá estudar o ciclo diurno da distribuição vertical das nuvens na região central da Amazônia. Isso será feito utilizando os dados do tetômetro (ceilometer) operado durante o experimento GoAmazon2014/15 no sítio experimental T3-Mancapuru. A detecção de nuvens será feita com o algoritmo desenvolvido no nosso Laboratório para um lidar, um instrumento semelhante. Este determina a altitude da base, topo, máximo retro-espalhamento e espessura da nuvem. A aluna irá adaptar este algoritmo e processar todos os dados que coletamos com o tetômetro na Amazônia, para cada estação. Com estes dados, ela fará uma análise estatística descritiva e calculará o ciclo diurno do perfil vertical da frequência de ocorrência. Os resultados serão interpretados com ajuda dos perfis termodinâmicos médios de cada estação, e serão comparados com resultados disponíveis na literatura. (AU)