Busca avançada
Ano de início
Entree

Corpos dissidentes: experiências de pessoas transexuais da infância à vida adulta

Processo: 16/16895-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Manoel Antônio dos Santos
Beneficiário:Raul Gomes de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Teoria queer   Pessoas transgênero   Consciência corporal   Imagem corporal

Resumo

Nos últimos anos tem aumentado o interesse científico pela ampliação do conhecimento sobre a transexualidade para domínios que vão além do discurso biomédico, que por décadas se manteve hegemônico. A perspectiva biomédica tem recebido críticas contundentes da parte de estudiosos de diferentes disciplinas das ciências humanas, pela insistência no caráter patologizante da condição transexual e pela convicção de que a pessoa trans é movida por um desejo incoercível de buscar a adequação de gênero, que supostamente só se completaria pela realização da cirurgia de redesignação sexual. Para a pessoa transexual, a consciência de ter um corpo sexuado e a experiência de ter um pênis ou vagina e não conseguir se performar de acordo com o gênero concebido socialmente, configuram descobertas que repercutirão ao longo de toda a vida. De tal maneira que, querer reduzir a diversidade de construções possíveis da identidade de gênero a uma questão médica pode ser considerado, no mínimo, um retrocesso em relação ao conhecimento já produzido. Considerando esses pressupostos, este estudo se propõe a dar voz às próprias pessoas trans para que elas narrem suas histórias de vida e falem por si mesmas. Nesse sentido, esta pesquisa pretende contribuir como contraponto crítico à ideia patologizante imposta pelo discurso biomédico para enquadrar e catalogar tais indivíduos em um manual de categorias psicopatológicas. Além disso, são raros os estudos que abordam a relação da pessoa transexual com seu corpo, e mais escassos ainda os que investigam essa questão na perspectiva das mulheres e homens transexuais nas diversas etapas do ciclo vital. Partindo desses pressupostos, tem-se como objetivo geral investigar as percepções que homens e mulheres transexuais têm de seus corpos, focalizando a relação estabelecida da infância à vida adulta. Como objetivos específicos têm-se: (a) investigar a compreensão que as pessoas transexuais têm dos seus corpos, concomitantemente ao processo transexualizador; (b) analisar as convergências e divergências na apropriação subjetiva da corporalidade e do processo transexualizador em homens e mulheres transexuais; (c) investigar as semelhanças e diferenças da percepção do corpo antes e depois de iniciar o processo transexualizador. Trata-se de um estudo qualitativo, transversal, descritivo-exploratório. O referencial teórico a ser adotado é a teoria Queer, que proporciona uma possibilidade de leitura original sobre a condição transexual, principalmente ao contestar a matriz heterossexual que postula a binaridade do sexo e do gênero, além da a suposta concordância entre anatomia, gênero, desejos e práticas sexuais. Os participantes serão um transexual masculino e uma feminina. Os dados serão coletados por meio de um formulário de dados sociodemográficos, diário de campo e roteiro de entrevista semiestruturada com questões relativas à trajetória de vida e à vivência dos processos de transformação corporal. As entrevistas serão realizadas individualmente, em situação face a face, ao longo de, no máximo, quatro encontros, conforme a necessidade, e audiogravadas mediante autorização dos(as) participantes. Após a coleta de dados, o conteúdo registrado será transcrito literalmente e na íntegra. Posteriormente, os dados serão submetidos a um processo de análise de conteúdo temática que ocorre em três etapas: (a) pré-análise, organização preliminar do material que constitui o corpus de análise; (b) descrição analítica, categorização dos dados pela similaridade de conteúdo, gerando categorias temáticas; (c) interpretação referencial, tratamento de dados e interpretações dos significados dos conteúdos temáticos, de acordo com o referencial teórico adotado. O desenvolvimento deste estudo está amparado na Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Este projeto será submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da instituição sede. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: