Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e caracterização de exossomos durante a indução de estresse do retículo endoplasmático em linhagens celulares de glioblastoma

Processo: 16/24507-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:José César Rosa
Beneficiário:Sabrina de Fátima Comin
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Espectrometria de massas   Exossomos   Proteômica   Neoplasias   Glioblastoma   Estresse do retículo endoplasmático

Resumo

Estímulos estressores desencadeiam na maioria das linhagens celulares mecanismos redutores do estresse e de sobrevivência celular como a "Unfolded Protein Response" (UPR) .Esse tipo de resposta ao estresse celular causa um aumento na secreção de vesículas pelo RE e aparelho de Golgi, que quando são secretadas por essas células passam a denominar-se exossomos. Presentes nos fluidos corporais como sangue, urina, saliva e liquor, essas microvesículas possuem em sua composição mRNAs, microRNAs, RNAs não codificantes, proteínas citoplasmáticas e de membrana, como receptores e moléculas do complexo MHC que são candidatos à biomarcadores de doença. Estudos recentes apontam que a comunicação intercelular pelos exossomos pode modular expressão gênica da célula alvo, assim como processos de crescimento, divisão e diferenciação celular, resposta ao estresse, sobrevivência celular e apoptose. Entretanto, essas propriedades, vem se demonstrando presentes também em células tumorais, onde, a secreção de exossomos pelas células tumorais influenciam na progressão tumoral e no desenvolvimento de metástases. Devido suas propriedades e presença em fluidos corporais onde possam ser coletados, os exossomos estão se tornando candidatos promissores de novos biomarcadores para realização de diagnósticos precoce e prognóstico de inúmeras doenças, entre elas o câncer. Dessa maneira, nós trataremos linhagens celulares de glioblastoma, U87MG e T98G, com drogas indutoras de estresse celulares que possuem diferentes mecanismos de ação, como thapsigargin, tunicamicyn e temozolamide e avaliar a liberação de exossomos, caracterizando o perfil proteômico dessas vesículas por meio de analise shotgun proteomics utilizando cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas. (AU)