Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de mediadores e mecanismos fisiopatológicos relacionados ao pterígio

Processo: 16/22845-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Mônica de Cássia Alves de Paula
Beneficiário:Bruna Duarte Moron de Andrade
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/19138-5 - Criação do biobanco de tecidos oculares e investigação de novos mecanismos fisiopatológicos relacionados a doenças oculares do segmento anterior, AP.JP
Assunto(s):Proteômica   Inflamação   Pterígio   Oftalmologia

Resumo

O pterígio é uma doença fibrovascular degenerativa da superfície ocular que pode causar sintomas de desconforto, induzir astigmatismo e comprometer a acuidade visual de seus portadores. Os fatores mais frequentemente associados são a exposição à radiação ultravioleta, irritação crônica e inflamação. A proliferação fibrovascular, invasão tecidual e remodelamento da matriz extracelular são importantes características da doença, entretanto a etiopatogênese exata ainda não está completamente compreendida. O desenvolvimento do pterígio apresenta algumas similaridades com crescimento tumoral, tais como proliferação celular e vascular, invasão da córnea e alto índice de recorrência após a excisão cirúrgica. Diversos estudos demonstram ainda a atuação de mecanismos antiapoptóticos, fatores de crescimento e fatores angiogênicos na patogênese do pterígio. No Brasil, faltam estudos populacionais que apresentem uma caracterização mais completa sobre os indivíduos portadores de pterígio, bem como análises dos fatores de risco e agravantes, e repercussões na qualidade de vida dos pacientes acometidos. Este estudo tem como objetivo caracterizar clínica e epidemiologicamente a população portadora de pterígio e avaliar possíveis mediadores relacionados ao desenvolvimento dessa prevalente condição e sua recidiva, através de estudos de proteômica direcionados à proliferação celular e angiogênese. (AU)