Busca avançada
Ano de início
Entree

Parâmetros intensivos de cristalização (P-T-fO2) para rochas kimberlíticas da província alcalina alto Paranaíba e a instabilidade de diamantes: intrusões Três Ranchos IV e Limeira I

Processo: 16/12627-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Rogério Guitarrari Azzone
Beneficiário:Bruna Coldebella
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/06082-6 - A província magmática Paraná-Etendeka no Brasil: relações temporais e petrológicas entre o magmatismo toleítico e alcalino e suas implicações geodinâmicas, AP.TEM
Assunto(s):Kimberlito   Química mineral

Resumo

A presente proposta traz como principal questionamento a influência que parâmetros intensivos, como pressão, temperatura e fugacidade de oxigênio (T, P e fO2), podem exercer na maior instabilidade de xenocristais de diamantes carregados ou possivelmente carregados por magmas kimberlíticos da Província Alto Paranaíba. Análises químicas completas (elementos maiores, menores e traços) das principais fases minerais de diferentes intrusões kimberlíticas serão realizadas com vistas à determinação destes parâmetros de cristalização. O foco especial será destinado aos cristais de perovskita e monticelita encontrados na matriz destas rochas, uma vez que, para tais fases, há calibrações específicas baseadas em trabalhos experimentais que permitem avaliar condições de fugacidade de oxigênio. Esta é uma iniciativa pioneira para rochas desta província alcalina: será a primeira abordagem a quantificar e discutir a fugacidade de oxigênio a partir de fases cognatas a estes magmas e a discutir implicações associadas à variação deste parâmetro. Além disso, análises em cristais de granada, olivina e óxidos como cromita, ilmenita e espinélio permitirão determinar condições de temperatura e pressão. Especialmente as determinações de pressão poderão indicar as profundidades amostradas por estes corpos, uma vez que boa parte dos minerais escolhidos como geobarômetros é representativa da assembleia de xenocristais mantélicos que são carregados por estes magmas. Duas ocorrências serão o foco principal das análises, ambas pertencentes à Província Alto Paranaíba: Três Ranchos IV, reconhecidamente diamantífera, e Limeira I, definida como estéril. Também serão compilados dados químicos de outras intrusões disponíveis na literatura para o cálculo de tais parâmetros, além de estudos petrográficos criteriosos com a finalidade de determinar a composição mineralógica, texturas e estruturas de desequílibrio encontradas nestes sistemas híbridos. Para alcançar os objetivos propostos, faz-se necessária a utilização de vários métodos analíticos, como Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Microssonda Eletrônica, laser ablation ICP-MS e fluorescência de raios X. Este trabalho contribuirá de maneira geral com o entendimento da evolução e cristalização dos magmas kimberlíticos desta província, e das regiões do manto amostradas na ascensão destes. Conferirá parâmetros importantes para o entendimento da potencialidade econômica associadas a possível presença e preservação de diamantes em rochas kimberlíticas, uma vez que trabalhos experimentais recentes determinam uma correlação positiva entre a variação da fugacidade de oxigênio e a maior instabilidade de diamante. Permitirá também traçar importantes considerações relacionadas às variáveis intensivas de cristalização na província como um todo e contribuirá com o entendimento do manto subjacente. O projeto representa uma primeira abordagem ao tema a partir de rochas relacionadas ao magmatismo Meso-Cenozóico da Plataforma Brasileira, agregando uma temática inovadora à tradicional linha de pesquisa do IGc-USP associada ao estudo petrológico do magmatismo alcalino. Também, atende a uma das metas esboçadas no Projeto Temático "A província magmática Paraná-Etendeka no Brasil: relações temporais e petrológicas entre o magmatismo toleítico e alcalino e suas implicações geodinâmicas" (FAPESP 2012/06082-6), ao qual está vinculado, a saber, o estudo petrológico de magmas kimberlíticos. (AU)