Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos fatores celulares envolvidos na montagem e brotamento de Orthobunyavirus utilizando o vírus Oropouche como modelo

Processo: 16/18356-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Luis Lamberti Pinto da Silva
Beneficiário:Natalia da Silva Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/02438-6 - Estudos com Bunyaviridae causadores de doença, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):19/02945-9 - Estudo dos mecanismos moleculares envolvidos na montagem do Vírus Oropouche, BE.EP.DD
Assunto(s):Virologia   Vírus de RNA   Orthobunyavirus

Resumo

A família Bunyaviridade é uma das maiores e mais diversas família de vírus de RNA. Possuem cerca de 350 isolados que apresentam uma ameaça a saúde pública e a produção agrícola. Estes vírus podem ser transmitidos por partículas aerossóis ou vetores invertebrados. Muitos desses agentes patogênicos podem causar febre hemorrágica, hepatite fatal, encefalite e febre aguda. Dentre os vírus do gênero Orthobunyavirus encontra-se o vírus Oropouche (OROV) presente principalmente na América do Sul. Pouco se sabe sobre as características das vias de montagem e brotamento dos Orthobunyavirus. Basicamente, todos os dados desse gênero coletados até o presente momento se baseiam em um único vírus chamado Bunyamwera (BUNV). Desta forma, acredita-se que a maior parte dos bunyavirus, baseados em estudos sobre o BUNV, utilizem o complexo de Golgi como plataforma de montagem de suas partículas virais. Entretanto, há uma divergência na literatura sobre os sítios de montagem de outros Bunyavirus. Desta forma, o presente estudo tem por objetivo ampliar os conhecimentos sobre os mecanismos moleculares envolvidos na montagem, brotamento e externalização dos Orthobunyavirus utilizando o OROV como vírus modelo e comparando com outras espécies. De fato, estudos realizados durante o período do Mestrado indicam que a montagem de OROV não ocorre diretamente no CG. Nossos resultados mostram também o envolvimento dos corpos multivesiculares (MVBs) e a participação crucial da maquinaria ESCRT (Endosomal Sorting Complex Required for Transport) na montagem e externalização do OROV, o que ainda não havia sido relatado para os Bunyavirus. Neste projeto nos propomos a estabelecer qual o papel específico da maquinaria ESCRT e quais componentes exatos desta maquinaria estão envolvidos durante o ciclo do OROV. Adicionalmente, analisaremos a possível participação de proteínas Rab (Rab27a, Rab27b e Rab35), envolvidas na liberação de exossomos, na externalização do OROV. Posteriormente, utilizaremos dois outros Orthobunyavirus, o vírus Catú e Guamá, para avaliar se nossos achados relacionados a montagem e/ou brotamento do OROV são conservados para outros vírus desse gênero. O melhor entendimento desses eventos, revelará aspectos importantes, ainda desconhecidos, envolvidos na montagem de Bunyavirus em células humanas e sua externalização. Desta forma, gerando informações significativas para melhor compreensão dos mecanismos de montagem de Bunyavirus, podendo assim, contribuir para estratégias visando inibir a replicação viral. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.