Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da corrente interferencial sobre a função sexual e o microbioma vaginal de mulheres com falência ovariana prematura

Processo: 17/01234-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Cristina Laguna Benetti Pinto
Beneficiário:Mirian Vieira Fraga
Instituição-sede: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/08334-0 - Influência da corrente interferencial sobre a função sexual e o microbioma vaginal de mulheres com falência ovariana prematura, AP.R
Assunto(s):Ginecologia   Insuficiência ovariana primária   Disfunção sexual fisiológica   Corrente interferencial   Terapia de reposição de estrógenos

Resumo

Mulheres com FOP em uso de terapia hormonal (TH) apresentam mais disfunção sexual quando comparadas às mulheres de mesma idade com função gonadal preservada. Corrente Interferencial (CI) é um tratamento fisioterápico indicado para diminuir a dor, promover relaxamento muscular e melhorar a circulação sanguínea local. Estas ações são substrato para uma possível melhora na função sexual destas mulheres. Pode agir ainda no microambiente vaginal. Objetivo: Avaliar a influência da corrente interferencial, comparativamente com o uso de estrogênio tópico, na função da musculatura do assoalho pélvico, na função sexual e no microbioma vaginal de mulheres com FOP em uso de TH. Sujeitos e Métodos: Estudo controlado aleatorizado com inclusão de 40 mulheres com diagnóstico de FOP, entre 18 e 45 anos, sexualmente ativas, em uso de TH por via oral, em acompanhamento no ambulatório de Ginecologia Endócrina do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP. As voluntárias serão distribuídas de forma aleatória para tratamento em um grupo de estimulação elétrica do assoalho pélvico com corrente interferencial (Aparelho Endophasys NMS-0501 - KLD Biosistemas Equipamentos Eletrônicos Ltda.) e um grupo controle com uso de Estrogênio tópico vaginal. Serão coletadas amostras de secreção vaginal com auxílio de Eswab Liquid-base Multipurpose Collection and Transport System para verificação de Microbioma vaginal, serão realizadas as avaliações da força de contração da musculatura do assoalho pélvico, do tônus basal e de seu endurance através de eletromiografia (aparelho Miotool 400 - Miotec Equipamentos Biomédicos Ltda.), e aplicação do questionário FSFI, antes e após a realização das sessões de CI ou uso de estrogênio tópico. Análise estatística: Para avaliar o efeito das intervenções sobre o desempenho da musculatura do assoalho pélvico, a função sexual e o microbioma vaginal, os dados do início e final do tratamento serão avaliados pelo Teste T de Student. Estes resultados serão comparados aos obtidos no grupo tratado com estrogênio tópico através do teste T de Student. Conclusão: Buscamos novas opções terapêuticas que possamos oferecer às queixas sexuais e de redução de lubrificação, tão prevalentes nas mulheres com FOP. (AU)