Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do MHC de Classe I na progressão da ela em camundongos 129Sv-G93A

Processo: 17/02895-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Beneficiário:Gabriela Bortolança Chiarotto
Supervisor no Exterior: Caterina Bendotti
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Istituto di Ricerche Farmacologiche Mario Negri (IRCCS), Itália  
Vinculado à bolsa:13/16168-8 - Emprego de riluzole, tempol e células tronco mesenquimais no tratamento da esclerose lateral amiotrófica em camundongos SOD1 G93A, BP.DR
Assunto(s):Neurobiologia   Sistema imune   Inflamação   Doenças neurodegenerativas   Esclerose amiotrófica lateral

Resumo

A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa fatal que afeta o sistema motor. A causa da doença ainda é desconhecida, mas algumas mutações proteicas têm sido associadas ao processo patológico. Anteriormente, foi considerado que anomalias imunológicas podem contribuir para a patogénese da doença. No entanto, tornou-se recentemente evidente que a resposta imune pode também gerar um resultado protetor. Importantemente, a expressão de moléculas de MHC I por neurônios mostrou desenvolver funções não-canonicas, resultando em neuroproteção a partir de astrócitos ativados. Por sua vez, a regulação positiva de MHC I pelos motoneurônios in vivo e in vitro, provou ser neuroprotetora. A up-regulação resultou também em significativo impacto na sobrevida de animais transgênicos SOD1G93A. Estudos recentes sugerem uma participação de quimiocinas no processo inflamatório da ELA. Estas moléculas são também importantes para a interação entre células gliais e neurônios. Nossos objetivos neste projeto são: investigar os mecanismos identificados como responsáveis pela variabilidade do curso da doença em camundongos SOD1G93A, através do desenvolvimento de uma terapia genética pré-clínica precisa. Para isso, desenvolveremos vetores adenovirais para induzir a expressão de CCL2 e MHCI por neurônios e células gliais. Além disso, vamos transfectar os animais para avaliar o papel destas moléculas na progressão da ELA. Avaliaremos também, o efeito da expressão de MHCI e / ou CCL2 especificamente por motoneurônios, na sobrevivência e morfologia em co-cultura com astrócitos derivados de SOD1G93A e camundongos não transgênicos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CHIAROTTO, GABRIELA BORTOLANCA; CARTAROZZI, LUCIANA POLITTI; PEREZ, MATHEUS; BISCOLA, NATALIA PERUSSI; SPEJO, ALINE BARROSO; GUBERT, FERNANDA; FRANCA JUNIOR, MARCONDES; MENDEZ-OTERO, ROSALIA; RODRIGUES DE OLIVEIRA, ALEXANDRE LEITE. Tempol improves neuroinflammation and delays motor dysfunction in a mouse model (SOD1(G93A)) of ALS. JOURNAL OF NEUROINFLAMMATION, v. 16, n. 1 NOV 14 2019. Citações Web of Science: 0.
CHIAROTTO, GABRIELA BORTOLANCA; NARDO, GIOVANNI; TROLESE, MARIA CHIARA; FRANCA, JR., MARCONDES CAVALCANTE; BENDOTTI, CATERINA; RODRIGUES DE OLIVEIRA, ALEXANDRE LEITE. The Emerging Role of the Major Histocompatibility Complex Class I in Amyotrophic Lateral Sclerosis. INTERNATIONAL JOURNAL OF MOLECULAR SCIENCES, v. 18, n. 11 NOV 2017. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.