Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização clínica, histopatológica e imunofenotípica da leucoplasia oral

Processo: 16/21929-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Ana Carolina Fragoso Motta
Beneficiário:Pedro Franco Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biomarcadores   Estomatologia   Carcinoma de células escamosas   Leucoplasia bucal   Histopatologia

Resumo

O carcinoma de células escamosas (CCE) afeta anualmente cerca de 15.000 pacientes no Brasil. A sobrevida de aproximadamente 50% dos pacientes diagnosticados com esta neoplasia é de apenas 5 anos, sendo que a detecção precoce desta doença está associada a uma maior expectativa e melhor qualidade de vida dos pacientes. Lesões potencialmente malignas epiteliais, especialmente as leucoplasias sofrem transformações em lesões malignas epiteliais (CCE), em até 18% dos casos. As razões desta transformação, outrossim, não estão claras. Por esta razão, os tratamentos para estas lesões potencialmente malignas são conflitantes e controversos. O objetivo deste estudo é investigar as características clínicas, histopatológicas e alterações moleculares que possam estar associadas à transformação maligna da leucoplasia oral. Especificamente, serão identificados: 1) perfis clínico e histopatológico das lesões potencialmente malignas; 2) biomarcadores que possam predizer a transformação maligna da leucoplasia em carcinoma de boca, e 3) possíveis alvos terapêuticos para a prevenção do câncer oral. Pacientes referenciados à Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto - USP para diagnóstico de lesões orais, que atenderem aos critérios de inclusão, participarão do estudo. Serão investigadas informações relativas à idade, sexo, etnia, forma clínica, tamanho, número de lesões, localização, tempo de evolução, hábitos alimentares, vícios e candidíase. Biópsia incisional das lesões e análise histopatológica será realizada para confirmação do diagnóstico, seguida de estudo imuno-histoquímico e western blotting para determinar a expressão de EGFR, HRAS, PI3K, NOTCH e TTSP. Mucosa normal dos pacientes com leucoplasia e de pacientes sem qualquer lesão oral, além de amostras de CCE serão utilizados como controle. Este estudo foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa das instituições envolvidas (CAAE: 62360516.8.0000.5419), e todos os pacientes deverão dar o consentimento livre e esclarecido. (AU)