Busca avançada
Ano de início
Entree

Terapia gênica com a proteína mutante 7ND para isquemia de membro em camundongo

Processo: 16/19390-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Sang Won Han
Beneficiário:Gabriel Palermo Ruiz
Instituição-sede: Centro de Terapia Celular e Molecular. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia genética   Isquemia   Doença arterial periférica   Quimiotaxia

Resumo

A doença arterial periférica (DAP) possui uma prevalência aproximada de 10% na população geral, sendo que, na parcela acima de 70 anos, a prevalência chega a 20%. A principal causa da DAP é aterosclerose, que leva à obstrução de vasos gerando um quadro de isquemia, cuja evolução leva à isquemia crônica crítica (ICC) de membro. A ICC compromete a integridade física e funcional do paciente, podendo levar a perda do membro e até mesmo a morte. Para a regeneração e reparo tecidual, os processos de formação de vasos são cruciais. Foi visto que a ação prolongada de macrófagos M1 relaciona-se com menores taxas angiogênicas e diminuição da regeneração tecidual, assim, a inibição da quimiotaxia de M1 ao local isquêmico pode favorecer a migração de macrófagos M2, macrófagos pró-resolutivos. O objetivo desse projeto é provar a hipótese acima no membro isquêmico através da utilização do gene 7ND, um mutante de CCL2, de maneira a inibir a quimiotaxia de M1 por competição com o ligante de CCR2, em modelo murino. Por meio desta terapia gênica, espera-se promover uma melhor reparação tecidual, aumentando as taxas de arteriogênese e angiogênese, e consequentemente, a perfusão sanguínea. (AU)