Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de proteínas de Coxiella burnetii envolvidas na modulação da ativação do inflamassoma e em vias de sinalização intracelular em macrófagos

Processo: 16/24275-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Dario Simões Zamboni
Beneficiário:Robson Kriiger Loterio
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/04684-4 - O inflamassoma na resposta contra patógenos intracelulares e os mecanismos microbianos relacionados à evasão, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/23689-8 - Modulação da morte celular por efetores de Coxiella burnetii, BE.EP.DD
Assunto(s):Inflamassomos   Coxiella burnetii   Transdução de sinais   Piroptose   Peptídeos e proteínas de sinalização intracelular   Macrófagos   Patógenos

Resumo

O sistema imune inato é composto de uma grande variedade de células, as quais são equipadas com receptores de reconhecimento de padrões moleculares (PRR), como os PRRs citoplasmáticos da família NLR. Estes receptores contribuem para uma rápida defesa do hospedeiro contra patógenos intracelulares através da montagem e ativação de uma plataforma proteica conhecida como inflamassoma, culminando em fenômenos celulares importantes como a ativação de caspases inflamatórias, morte celular inflamatória (piroptose) e secreção de citocinas. Bactérias gram-negativas intracelulares, como Legionella pneumophila e Coxiella burnetii, possuem um sistema de secreção do tipo IV (Dot/Icm) que pode translocar proteínas efetoras bacterianas diretamente para o citoplasma celular. Pesquisas em nosso laboratório mostraram que C. burnetii, apresenta uma proteína efetora que denominamos IcaA (Inhibition of caspase Activation) que inibe a ativação não-canônica do inflamassoma. Entretanto, mesmo com a utilização de mutantes icaA- de Coxiella foi observado que ainda havia inibição da formação de poros e IL-1² sugerindo que há outros efetores modulando esses mecanismos. Nesta pesquisa, foram utilizados um número reduzido de efetores (17 efetores), já neste projeto, serão avaliados aproximadamente 60 efetores, conforme dados preliminares relacionados ao desenvolvimento deste projeto. Assim, este projeto terá como objetivo elucidar a atuação dos outros efetores responsáveis pela modulação do inflamassoma, contribuindo para o esclarecimento dos mecanismos evasivos de patógenos intracelulares e o desenvolvimento de terapias imunológicas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.