Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise cladística de Landrevinae Gorochov, 1982 (Orthoptera, Gryllidae)

Processo: 16/19183-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Silvio Shigueo Nihei
Beneficiário:Darlan Rutz Redu
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/04729-1 - Estudos morfológicos de Landrevinae Gorochov, 1982 (Orthoptera, Gryllidae) e táxons relacionados, com ênfase na genitália masculina e tégmina, BE.EP.DR
Assunto(s):Filogenia   Grilo   Morfologia animal   Sistemática

Resumo

Orthoptera compreende insetos popularmente conhecidos como grilos, esperanças, gafanhotos, paquinhas e taquaras. Possui atualmente 27 mil espécies descritas divididas em duas subordens, Caelifera e Ensifera, reconhecidas como monofiléticas. Em Ensifera, a infraordem Gryllidea, táxon que compreende todos os grilos, é monofilética e dividida em duas superfamílias, Gryllotalpoidea e Grylloidea. Os grilos Neotropicais ainda são muito pouco estudados, devido à escassez de taxônomos e sistematas especializados no grupo, o que resulta em graves problemas como classificações dúbias e diversidade subestimada. A subfamília Landrevinae Gorochov, 1982 possui atualmente 170 espécies válidas, distribuídas em 38 gêneros e três tribos: Landrevini, Odontogryllini e Prolandrevini. Ocorrem nas regiões Neotropical, Afrotropical, Oriental e Australásia. Estudos recentes mostraram que as tradicionais subfamílias de Gryllidae não recuperam grupos naturais (monofiléticos) e possuem uma delimitação confusa. Os objetivos deste projeto são: realizar um estudo morfológico do complexo fálico, papila copulatória e das tégminas (asas anteriores) de Landrevinae visando a proposição de hipóteses de homologia; propor uma hipótese com base em caracteres morfológicos sobre as relações filogenéticas entre os gêneros de Landrevinae, bem como entre Landrevinae e táxons afins de Gryllidae; testar a monofilia e delimitar a composição de Landrevinae e de seus táxons supraespecíficos (tribos e gêneros); e propor uma classificação supraespecífica para Landrevinae. (AU)