Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel dos receptores de melatonina no consumo alimentar, balanço energético e na via de sinalização da leptina

Processo: 17/01882-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 08 de junho de 2017
Vigência (Término): 07 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Cipolla Neto
Beneficiário:Daniella Do Carmo Buonfiglio
Supervisor no Exterior: Gianluca Tosini
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Morehouse School of Medicine (MSM), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/26190-6 - O papel central da melatonina no controle alimentar e metabolismo energético: interação da melatonina e leptina, BP.PD
Assunto(s):Neurofisiologia

Resumo

Muitos hormônios e neurotransmissores regulam o comportamento alimentar. A leptina está em evidência desde que foi descrito que a mutação em genes que codificam a proteína ou o seu receptor resultam em obesidade severa. A melatonina (Mel) está envolvida na regulação do balanço energético e a sua administração reduz o consumo alimentar, o peso corporal e gordura abdominal em diversos modelos de roedores. Além disso, o tratamento rítmico com melatonina sincroniza a secreção de leptina de adipócitos In vitro. A melatonina é essencial para o acoplamento das funções metabólicas ao ciclo claro-escuro garantindo a homeostase metabólica. O desacoplamento dessas funções está relacionada à síndrome metabólica e obesidade. No entanto, o mecanismo ao qual a melatonina modula o peso corporal não está definido. O objetivo deste projeto é investigar o comportamento alimentar, mudanças no peso corporal e alterações na via de sinalização da leptina no SNC de camundongos nocautes para os receptores de melatonina, MT1 e MT2. Para isso, camundongos machos C3H/f+/+MT1/, C3Hf+/+MT2/ e selvagens (Wild type) de aproximadamente 2 meses serão caracterizados e terão o consumo alimentar e o peso corporal acompanhados diariamente. Após a caracterização, serão submetidos ao teste agudo de sensibilidade à leptina, ao teste de Jejum, ao teste de resposta à dieta hiperlipídica e terão o gasto energético monitorados no aparelho CLAMS. Para avaliar a ativação da via da leptina, os camundongos serão estimulados com leptina e será analisado a fosforilação de STAT3 no hipotálamo. Para aferir indiretamente a termogênese, será avaliado a expressão proteica da proteína desacopladora 1 (UCP1) no tecido adiposo marrom dos grupos mutantes e selvagem.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BUONFIGLIO, DANIELLA; PARTHIMOS, RAFAELA; DANTAS, ROSANA; SILVA, RAYSA CERQUEIRA; GOMES, GUILHERME; ANDRADE-SILVA, JESSICA; RAMOS-LOBO, ANGELA; AMARAL, FERNANDA GASPAR; MATOS, RAPHAEL; SINESIO, JR., JOSE; MOTTA-TEIXEIRA, LIVIA CLEMENTE; DONATO, JR., JOSE; REITER, RUSSEL J.; CIPOLLA-NETO, JOSE. Melatonin Absence Leads to Long-Term Leptin Resistance and Overweight in Rats. FRONTIERS IN ENDOCRINOLOGY, v. 9, MAR 27 2018. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.