Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da ausência da melatonina na lactação e no comportamento maternal

Processo: 16/24956-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Cipolla Neto
Beneficiário:Rafaela Panaiotta Parthimos
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50457-0 - Melatonina e a regulação do metabolismo energético: estudos básicos, clínicos e epidemiológicos, AP.TEM
Assunto(s):Neurofisiologia   Lactação   Prolactina   Melatonina   Modelos animais

Resumo

A infância é um período crítico em que ocorre o desenvolvimento de grande parte das potencialidades humanas. A falta da amamentação, o desmame precoce e a substituição do aleitamento materno por fórmulas lácteas podem interferir na saúde da mãe e da criança. A expressão do comportamento maternal e a lactação são fenômenos fisiológicos que ocorrem em decorrência de significantes mudanças hormonais. São tidos como principais hormônios para a expressão do comportamento maternal e lactação: a progesterona, o estradiol, a prolactina e a ocitocina. Dentre esses, a prolactina é o hormônio-chave para o desenvolvimento da glândula mamária e a lactogênese, assim como, para a expressão do comportamento maternal. Um outro hormônio importante para a fisiologia reprodutiva das fêmeas é a melatonina. A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal e tem sua secreção sincronizada pelo ciclo claro/escuro - as concentrações de melatonina aumentam na fase de escuro e diminuem durante na fase de claro. Há evidências de que a melatonina interage com a hipófise, regulando a secreção de prolactina e ocitocina. Além disso, a melatonina é um hormônio materno que cruza a placenta sem ser modificado e também é encontrado no leite materno, desempenhando papel neuroprotetor e de regulação dos ritmos diários fetais e do neonato. Podemos observar, portanto, que a melatonina atua diretamente com eixos hormonais importantes para o comportamento maternal e lactação. Além disso, sabe-se que a manutenção dos ritmos circadianos e o perfil fisiológico cíclico de síntese e secreção de melatonina são essenciais para assegurar uma fisiologia reprodutiva adaptativa em mamíferos fêmeas. Diante disso, o objetivo do presente projeto é investigar se a ausência da melatonina circulante altera a mamogênese, a lactogênese e o comportamento maternal, por meio da avaliação de parâmetros comportamentais, fisiológicos e moleculares em ratas lactantes pinealectomizadas (PINX) ou com a glândula pineal intacta (Controle). Para isso, ratas da linhagem Wistar (250g) serão mantidas sob ciclo de iluminação 12h claro/escuro, temperatura de 24 ±2°C e comida/água ad libitum. Inicialmente as ratas do grupo PINX serão submetidas à cirurgia de retirada da glândula pineal (pinealectomia). Quatro semanas após a cirurgia, os animais serão colocados para acasalamento. As fêmeas grávidas serão individualizadas e acompanhadas diariamente para determinação do dia do nascimento, que será considerado o primeiro dia de lactação (L1). Os testes de lactação serão realizados nos dias L5 e L8. Inicialmente a mãe, a ração e os 4 filhotes serão pesados. Os filhotes serão alocados em uma caixa diferente e a mãe permanecerá na sua caixa original durante 4 horas. Após o período de jejum, os filhotes serão novamente pesados para verificação do peso perdido. Em seguida, serão colocados novamente na caixa da mãe, porém cada um em uma extremidade da caixa para avaliação do comportamento maternal. Os parâmetros avaliados serão: 1- latência para o contato inicial com cada filhote, 2- latência para a recuperação de cada filhote, 3- latência para o agrupamento dos filhotes no ninho e 4- latência para a postura de amamentação ou cifose fisiológica (crouching). Os filhotes serão amamentados por 1 hora e pesados para a avaliação do ganho de peso que representará a produção de leite (g/filhote/hora). No L10 a mãe será eutanasiada para coleta de tecidos para posteriores análises histológicas, bioquímicas e moleculares. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BUONFIGLIO, DANIELLA; PARTHIMOS, RAFAELA; DANTAS, ROSANA; SILVA, RAYSA CERQUEIRA; GOMES, GUILHERME; ANDRADE-SILVA, JESSICA; RAMOS-LOBO, ANGELA; AMARAL, FERNANDA GASPAR; MATOS, RAPHAEL; SINESIO, JR., JOSE; MOTTA-TEIXEIRA, LIVIA CLEMENTE; DONATO, JR., JOSE; REITER, RUSSEL J.; CIPOLLA-NETO, JOSE. Melatonin Absence Leads to Long-Term Leptin Resistance and Overweight in Rats. FRONTIERS IN ENDOCRINOLOGY, v. 9, MAR 27 2018. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.