Busca avançada
Ano de início
Entree

Objetos urbanos: diálogos entre arquitetura, infraestrutura e metrópole nas estações de Metrô de São Paulo

Processo: 16/03250-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Projeto de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Anália Maria Marinho de Carvalho Amorim
Beneficiário:Luísa Augusta Gabriela Teixeira Gonçalves
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/23843-4 - A arquitetura entre a infraestrutura metropolitana e o desenho urbano: caminhos para a concepção de estações e terminais e a contribuição do Grand Paris Express., BE.EP.DR
Assunto(s):Infraestrutura de transportes   Projeto de arquitetura

Resumo

Esse trabalho busca analisar as possibilidades de integração de equipamentos urbanos de infraestrutura à metrópole, através dos projetos das estações de metrô de São Paulo. A análise da metrópole paulista busca compreender os reflexos das demandas espaciais e culturais na produção de arquitetura contemporânea. Através dos projetos das estações são estudados os limites entre arquitetura e sistemas de infraestrutura, no que procuramos avaliar a integração ao espaço urbano nas escalas metropolitana, do sistema de mobilidade, e local, da rua e do bairro. Inaugurado na década de 1970, o metrô de São Paulo segue em expansão de sua rede e da integração aos sistemas de ônibus e trens, através de terminais intermodais. A pesquisa destaca seis estações para estudos de caso distribuídas em três categorias, de modo a compor um quadro abrangente de contextos e escalas de projeto; 1- Estações na área central implantadas em praças, 2- Estações intermodais em grandes equipamentos e 3- Estações implantadas em estruturas de pontes, em situações limítrofes em relação à geografia do entorno. A seleção de estações de cinco linhas distintas possibilita confrontar a produção desses equipamentos ao longo do tempo, atravessando a dimensão do planejamento urbano, na região de implantação, e construtiva, dentro dos processos e políticas de obra, projeto, materialidade e composição dos espaços. A análise dos projetos selecionados permitirá explicitar as estratégias projetuais que deram suporte à transição entre escalas, do sistema de transporte público em seu conjunto, ao projeto das estações em conexão ao espaço público da cidade, que superam características correntes à projetos de estações e terminais sugerindo novas relações entre arquitetura e metrópole. (AU)