Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos produtos finais da glicosilação avançada (AGEs): associações com distúrbio mineral e ósseo e doença cardiovascular na doença renal crônica

Processo: 16/26029-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rodrigo Bueno de Oliveira
Beneficiário:Noemí Angélica Vieira Roza
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/16544-5 - Avaliação dos produtos finais da glicosilação avançada (AGEs): associações com distúrbio mineral e ósseo e doença cardiovascular na doença renal crônica, AP.JP
Assunto(s):Nefrologia   Insuficiência renal crônica   Osso e ossos   Expressão gênica   Produtos finais de glicação avançada

Resumo

A doença renal crônica (DRC) está relacionada com os distúrbios mineral e ósseo (DMO) e a doenças cardiovasculares (DCV), complicações frequentes dessa doença. Os produtos finais da glicosilação avançada (AGEs) estão envolvidos na fisiopatologia dessas complicações, de forma pouco compreendida, de maneira que existe potencial para seu uso como biomarcador ou alvo terapêutico. Um dispositivo não-invasivo (AGE-Reader) foi desenvolvido para a quantificação tecidual de AGEs a partir da autofluorescência da pele (sAF), método validado na DRC, porém não se sabe se ele é capaz de refletir a concentração de AGEs no tecido ósseo ou se é um marcador útil. Esse estudo se propõe a investigar as relações entre AGEs, parâmetros de DMO e DCV em pacientes com DRC, através da avaliação de dados clínicos-demográficos e bioquímicos gerais, AGEs na pele (AGE-Reader) e no tecido ósseo (imunohistoquímica para AGEs), e séricos (carboximetilisina e pentosidina), esclerostina, deoxipiridinolina, C-¬telopeptídeo de colágeno tipo¬-I, análise histomorfométrica de tecido ósseo, densitometria óssea, calcificação vascular por radiografias (pelve e mãos), dados de ecocardiograma e marcadores clássicos de (DCV). A expressão gênica de fatores que regulam a via Wnt no tecido ósseo e sua relação com AGEs será avaliada por PCR-rt, bem como a expressão da proteína lisil oxidase que regula a degradação do colágeno. Serão incluídos pacientes com DRC estágios 3-4 (N=30), diálise peritoneal (N=30) e hemodiálise (N=30). Um grupo de 50 adultos saudáveis será utilizado para comparação pareada por idade e sexo. A originalidade dessa proposta baseia-se na avaliação simultânea das relações entre AGEs (por um novo método), parâmetros de DMO e DCV em uma amostra de pacientes brasileiros, com diferentes estágios de DRC. Esse projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da FCM-UNICAMP (CAAE: 38108314.6.0000.5404, 45777015.5.0000.5404 e 45943115.9.0000.5404). (AU)