Busca avançada
Ano de início
Entree

Características transcricional, bioquímica e fisiológica dos Citrus na floração e fixação de frutos sob estresse térmico causados por mudanças climáticas

Processo: 16/22773-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 11 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Ricardo Antunes de Azevedo
Beneficiário:Franz Walter Rieger Hippler
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Citrus   Mudança climática

Resumo

A produção citrícola do estado de São Paulo e Triângulo Mineiro, principais regiões de cultivo de laranja do país, vêm sofrendo perdas nos últimos anos devido às mudanças climáticas, caracterizadas principalmente pelo aumento da radiação luminosa e da temperatura do ar nos pomares. A ocorrência destes extremos climáticos provocam queda dos botões florais, e principalmente de frutos no período de formação. Estima-se que a redução na produção devido a essa queda prematura de frutos é de em média de 30 milhões de caixas (40,8 kg) por ano. Diversos processos podem estar envolvidos na abscisão de flores e frutos de plantas sobre estresses abióticos, dentre eles destaca-se a redução na fotossíntese, e consequentemente dos teores de carboidratos e aumento no acúmulo de espécies reativas de oxigênio nas plantas. A partir daí vários fatores de transcrição desencadeiam a sinalização, por meio de hormônios e ativação de enzimas hidrolíticas que levam à ativação da zona de abscisão. Devido ao acúmulo de gases de efeito estufa na atmosfera, eventos climáticos extremos tem ocorrido mais frequentemente. Assim, a necessidade do entendimento dos processos moleculares, bioquímicos e fisiológicos que levam a ativação da zona de abscisão, em plantas sobre estresses causados pelas mudanças climáticas, é necessária na definição de estratégias de manejo para garantir maior eficiência produtiva dos pomares. Busca-se, então, avaliar processos envolvidos na queda de flores e frutos em plantas de laranja sobre elevada radiação luminosa e temperatura do ar. Em casa de vegetação, laranjeiras serão expostas a pleno sol e sombreadas durante o florescimento e frutificação. Devido as folhas próximas às flores e frutos terem um papel importante na sinalização e ativação da zona de abscisão, estas serão usadas para a avaliação de características transcriptômicas (super expressão ou repressão de genes efetores relacionados, tais como ativadores hormonais), bioquímicas (balanço de compostos antioxidantes, atividade de enzimas antioxidantes e caracterização de amino ácidos solúveis) e fisiológicos (assimilação de CO2, florescência da clorofila a e balanço de carboidratos) em períodos desde o início da floração até quando fruto apresentar-se recém formado. Espera-se identificar um ou mais fatores que possam elucidar processos básicos, como também auxiliar novas estratégias de manejo necessárias à manutenção da produção dos citros sob estresses climáticos. (AU)