Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese e caracterização de nanopartículas de óxido de ferro recobertas com moléculas fotoativas

Processo: 16/22482-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Paula Silvia Haddad Ferreira
Beneficiário:Victor Hladkyi Toledo
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas magnéticas   Hematita   Sílica   Nanotecnologia

Resumo

Nanopartículas (NPs) superparamagnéticas de óxido de ferro contendo superfícies com ligantes adequados são comumente usadas para aplicações biomédicas como a terapia fotodinâmica (PDT). Neste cenário, este projeto tem como principal objetivo a síntese e caracterização e ensaios biológicos de nanopartículas magnéticas revestidas com sílicas contendo moléculas fotoativas como azul de metileno (MB) e hipericina. Estas moléculas quando expostas à luz reagem com o oxigênio molecular e geram oxigênio singleto que é citotóxico e causa danos irreversíveis ao tecido tumoral. As nanopartículas serão preparadas por mistura de cloretos de ferro (II) e (III) na presença de uma base (NH4OH) pelo método da coprecipitação. As superfícies das NPs serão recobertas com um ligante catiônico como o tetraetilamônio. Em uma segunda etapa, as NPs serão revestidas com camadas de sílicas como silicato de sódio (Na2SiO3) e tetraetilortosilicato (TEOS) e posteriormente funcionalizadas com as moléculas fotoativas. As caracterizações estruturais, morfológicas e magnéticas destes compostos, bem como a avaliação da eficiência de funcionalização das moléculas fotoativas nas superfícies das mesmas serão realizadas através de várias técnicas como difração de raios X (DRX), espectroscopia vibracional na região do infravermelho (FTIR), medidas magnéticas (SQUID), espectroscopia eletrônica de absorção na região do ultravioleta e visível (UV-vis), espectroscopia dispersiva de raios X (EDS), espalhamento dinâmico de luz (DLS) e microscopias eletrônicas de transmissão e varredura (TEM/SEM). Pretende-se, ainda, avaliar o efeito fungicida destes nanossistemas em fungos do tipo Candida albicans. (AU)