Busca avançada
Ano de início
Entree

Habitar vertical e a cidade inclusiva

Processo: 17/03247-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Convênio/Acordo: ANR
Pesquisador responsável:Manoel Antonio Lopes Rodrigues Alves
Beneficiário:Milena Cristina Sartori
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/50278-3 - High-rise living and the inclusive city, AP.R
Assunto(s):Inclusão social   Verticalização   Cidades   Edifícios residenciais   São Paulo (SP)

Resumo

Como podemos produzir metrópoles inclusivas, no contexto contemporâneo de uma crescente verticalização Cidades mais verticais são capazes de acomodar crescimentos populacionais e prover habitação ao mesmo tempo em que limitam o espraiamento urbano. Em um contexto em que o capitalismo neoliberal articulado a municipalidades, promove condições mais favoráveis a financeirização e ao controle do espaço das cidades, esta visão sobre a verticalização torna-se questionável. Hoje, edifícios verticais residenciais são mais do que uma mera solução projetual: são commodities utilizadas para a fixação dos fluxos de capital mundializado, numa ação conjunta entre mercado financeiro e Estado. Por meio do estudo da produção e vivência de edifícios verticais (high-rises), em um campo teórico-conceitual transdisciplinar, buscamos analisar as transformações urbanas recentes, sob a ótica da noção de inclusividade (inclusiveness) - como estado e processo, resultado ou condição para uma cidade igualitária. Questiona-se a inclusividade do espaço urbano contemporâneo - suas urbanidades, transformações do espaço público e modos de vida. Este projeto está baseado em estudos de caso em Lyon e São Paulo, que elucidarão as diferentes formas de negociação local e global na produção da cidade. (AU)