Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da hiperplasia prostática benigna e tratamento com finasterida na integridade espermática de cães

Processo: 17/04102-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 17 de abril de 2017
Vigência (Término): 28 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Camila Infantosi Vannucchi
Beneficiário:Daniel de Souza Ramos Angrimani
Supervisor no Exterior: Ann Van Soom
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Ghent University (UGent), Bélgica  
Vinculado à bolsa:13/25966-5 - Caracterização seminal e das alterações hemodinâmicas da próstata e testículos de cães com hiperplasia prostática benigna, BP.DR
Assunto(s):Túneis   Doenças dos animais   Fragmentação do DNA   Hiperplasia prostática   Finasterida

Resumo

A hiperplasia prostática benigna (HPB) configura dentre as afecções de maior incidência, tanto na espécie canina como na humana. Contudo, algumas lacunas ainda permanecem não elucidadas a cerca da HPB, como por exemplo, os impactos da afecção na qualidade seminal. Ademais, a utilização de finasterida como fármaco de escolha para tratamento da HPB, em homens e cães, ainda não está totalmente estabelecida devido seus possíveis efeitos colaterais na fertilidade. Em humanos, sabe-se que a HPB e o uso de finasterida podem propiciar alterações espermáticas, tais como, a redução na integridade de DNA espermático. Porém, em cães há poucos estudos que avaliam a influência da afecção e do tratamento na integridade do DNA espermático. Portanto, o objetivo dessa pesquisa é promover a caracterização das alterações decorrentes da HPB em cães submetidos ao tratamento com finasterida, utilizando de recursos que avaliem a integridade do DNA espermático. Para tal, serão selecionados vinte cães, alocados nos seguintes grupos experimentais: cães acometidos pela HPB (n=5), cães acometidos pela HPB e tratados com finasterida (HPB+F-n=5), cães isentos da HPB (CON-n=5) e cães isentos da HPB e tratados com finasterida (CON+F-n=5). Todas as avaliações serão realizadas, em intervalos mensais, por 60 dias a partir do início da terapia ou do diagnóstico (D0, D30 e D60). A partir de amostras seminais, será avaliada a susceptibilidade a fragmentação de DNA espermático pelo Ensaio de Estrutura de Cromatina Espermática (SCSA) e avaliação direta da fragmentação de DNA pelo TUNEL, teste de dispersão da cromatina e técnica da cromomicina A3. (AU)