Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprimoramento do manejo do HLB utilizando análises espaço-temporais da doença e seu vetor (Diaphorina citri)

Processo: 17/03122-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 29 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:José Belasque Junior
Beneficiário:Kelly Pazolini
Supervisor no Exterior: Stephen Robert Parnell
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Salford, Manchester, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:16/01796-1 - Aprimoramento do manejo do HLB empregando-se a epidemiologia espaço-temporal da doença e seu vetor (Diaphorina citri), BP.DR
Assunto(s):Epidemiologia

Resumo

Huanglongbing (HLB) é a principal doença dos citros e se encontra nas principais regiões produtoras do mundo, incluindo Brasil, EUA e China. Ainda não existe uma estratégia curativa viável ou uma variedade de citros resistente para o controle de HLB e o manejo se baseia na redução do inóculo inicial, ou seja, na erradicação de plantas sintomáticas, na utilização de mudas sadias e no controlo químico da população do vetor. No entanto, mesmo em pomares onde esse manejo é realizado, a disseminação de HLB pelo vetor pode levar a infecção de 100% das plantas em 2 a 5 anos. A disseminação do patógeno pelo vetor é a principal dificuldade relacionada ao manejo da doença. Isso ocorre porque as epidemias de HLB contam com dois tipos de disseminação: a disseminação secundária, ou seja, a transmissão do patógeno a árvores no mesmo pomar; e a disseminação primária, isto é, a transmissão do patógeno em longas distâncias, a partir de plantas infectadas de outros pomares. A disseminação primária é o tipo de disseminação mais perigosa pois indica um processo espacial de longa distância ou disseminação regional e, portanto, explica porque os esforços de controle do HLB em escala local falharam. Como consequência da disseminação primária, a maior parte das erradicações de plantas é feitas nas bordas do pomar e um efeito de borda pode ser observado em propriedades afetadas pelo HLB. Para reduzir a incidência e as consequências do efeito de borda, algumas medidas foram introduzidas no manejo do HLB como o manejo regional, aplicações mais frequentes de inseticidas nas bordas do pomar, plantios ultra-adensados, plantio paralelo à borda e replantio frequente de mudas. Do ponto de vista do produtor, essas medidas devem atrasar o progresso da doença e também reduzir o impacto negativo das erradicações nas bordas. No entanto, não existem estudos que quantifiquem a largura do efeito de borda, isto é, o comprimento da faixa onde há uma incidência de HLB mais elevada e também a eficácia destas estratégias. Compreender a dinâmica espaço-temporal do HLB, isto é, a disseminação primária e secundária, e o efeito que tem em uma área com manejo rigoroso de HLB e do vetor são ferramentas essenciais para melhor entender o patossistema HLB - vetor - citros. Essas informações são fundamentais para prever a probabilidade e extensão da disseminação, descrever e compreender o desenvolvimento de doenças, desenvolver planos de amostragem, planejar experimentos controlados, caracterizar perdas causadas e determinar a eficácia de possíveis medidas de controle. Nesse sentido, as técnicas de estimação de parâmetros como Markov chain Monte Carlo (MCMC) ou Approximate Bayesian Computation (ABC) são importantes ferramentas computacionais para estimar os parâmetros do modelo. Neste projeto, pretendemos usar métodos de parametrização (MCMC e ABC) para estimar e comparar a disseminação primária e secundária de HLB em 13 lotes (~ 25 ha) com manejo rigoroso da doença e seu vetor. Além disso, devido ao tamanho sem precedentes do conjunto de dados (~ 325 ha), este projeto apresenta uma oportunidade única para determinar o padrão espacial de HLB e D. citri sob variáveis de idade e localização de lotes (internos e externos) em uma escala "regional" e determinar o comprimento do efeito de borda HLB.