Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos bioquímicos de uma serina protease de peçonha de serpente

Processo: 16/21682-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Ljubica Tasic
Beneficiário:Giovanna Rivabem Grillo
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Serpentes   Venenos de serpentes   Bothrops   Serina proteases   Bioquímica

Resumo

Entre as substâncias da peçonha produzidas pelas glândulas exócrinas das serpentes, duas importantes e com grande destaque são as metalo- e as serina proteases, responsáveis por alterações no sistema hemostático das vítimas de acidentes ofídicos. Este projeto, salienta o estudo de uma serina protease, cujo sistema catalítico é composto pela tríade catalítica, com grande especificidade para substratos e que é capaz de converter fibrinogênio à fibrina, provocando distúrbios sistêmicos. Nossos estudos focam na atividade bioquímica de uma serina protease, nomeada SVSP1 (Snake Venom Serine Protease 1) advinda da peçonha da Bothrops asper (cedida pelo Instituto Clodomiro Picado, Costa Rica em forma liofilizada) na presença de hesperitina. Esperamos comprovar baixa detectabilidade ou indetectabilidade in vitro da atividade dessa serina protease SVSP1 quando a hesperitina estiver presente. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.