Busca avançada
Ano de início
Entree

A consolidação do estereótipo da "bruxa" e sua ressignificação na contemporaneidade: nuances de uma alteridade disforizada

Processo: 17/02150-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística
Pesquisador responsável:Elizabeth Harkot-de-La Taille
Beneficiário:Ana Carolina Lazzari Chiovatto
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/13695-0 - Estereótipos da bruxa na Inglaterra e na Escócia: a cristalização discursiva de figuras disfóricas, BE.EP.DR
Assunto(s):Semiótica   Literatura inglesa

Resumo

O presente projeto pretende investigar a imagem da bruxa em dois momentos históricos, a partir dos estudos discursivos, enquanto figura transgressora que representa uma alteridade disforizada. Para tanto, primeiro será realizada uma análise discursiva dessa figura em três obras significativas para a consolidação de sua imagem na Inglaterra: o tratado The Discoverie of Witchcraft (1584), de Reginald Scot (1538?-1599); o tratado Daemonologie (1597), do rei James VI da Escócia e I da Inglaterra (1566-1625); e a peça teatral Macbeth (c. 1603-1607), de William Shakespeare (1564-1616). A pesquisa terá como base estudos históricos e a fortuna crítica em torno destas três obras, sendo conduzida com o instrumental teórico da semiótica francesa. Os resultados investigativos desta primeira etapa serão a base do segundo momento da pesquisa: a análise da figura da bruxa na contemporaneidade, a partir do estereótipo, que parece persistir, observando a forma como as obras analisadas o reconfiguram e os efeitos de sentido trazidos por essa reconfiguração. Para tanto, foram pré-selecionadas as seguintes personagens e obras: Minerva McGonagall, Hermione Granger, Narcissa Malfoy e Bellatrix Lestrange, da série de livros Harry Potter (1998-2007), de J. K. Rowling (1965-); Elphaba e Glinda, do romance Wicked (1995), de Gregory Maguire (1954-); além de Gothel, do filme de animação Enrolados (2010), dirigido por Nathan Greno e Byron Howard, e produzido pelos estúdios Disney. Espera-se, por meio da análise contrastiva, identificar como a imagem da bruxa enquanto mulher transgressora subsiste na atualidade e em que medida há transposição do discurso de conformidade e não-conformidade femininas contido na disforização histórica dessa figura.