Busca avançada
Ano de início
Entree

Revisitação da biblioteca de cDNA da lagarta Lonomia obliqua para identificar novos alvos moleculares em processos inflamatórios: bioinformática, ensaios in vitro e transcriptômica

Processo: 17/02052-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Ana Marisa Chudzinski-Tavassi
Beneficiário:Jaqueline Mayara de Araujo
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biblioteca gênica   Lonomia obliqua   Lagartas   Resposta inflamatória   Osteoartrite   Biologia computacional   Terapia de alvo molecular

Resumo

O contato da pele com as cerdas da lagarta Lonomia obliqua leva ao envenenamento, que se caracteriza por coagulopatia de consumo e fibrinólise secundária, podendo levar à síndrome hemorrágica e, consequentemente, à morte. Estudos in vivo em camundongos mostraram que o extrato bruto das cerdas da lagarta induz a formação de coágulos pelo desencadeamento da ativação tanto de protrombina quanto do fator X, assim como da resposta inflamatória, com aumento de influxo de leucócitos. Sabe-se que as vias de sinalização relacionadas à inflamação e a cascata de coagulação estão inter-relacionadas. Desta forma, os mecanismos de sinalização envolvidos em doenças relacionadas a processos inflamatórios como a osteoartrite (OA) podem ser investigados. A OA é doença crônica que progride lentamente e constitui em uma das principais causas de incapacidade na população adulta. A partir da análise fenotípica da biblioteca de cDNA de L. obliqua, por meio de ferramentas de bioinformática, o presente projeto visa identificar novas ferramentas moleculares, selecionar os motivos estruturais relacionados às funções de interesse, planejar a construção de novas entidades químicas a serem sintetizadas para auxiliar na identificação e validar novos alvos moleculares relacionados à processos inflamatórios, empregando modelos de condrócitos de pacientes com OA de joelho. A identificação de novos alvos importantes nas vias de sinalização envolvidas no processo inflamatório é premente para o desenvolvimento de novos e mais efetivos candidatos a fármacos para tratar a OA. (AU)