Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de imunossensores para a detecção eletroquímica de biomarcadores de Alzheimer

Processo: 15/26651-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Lúcia Vieira
Beneficiário:Claudia Do Amaral Razzino
Instituição-sede: Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D). Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/15857-1 - Estudos científicos e aplicações inovadoras em diamante-CVD, Diamond-Like Carbon (DLC) e carbono nanoestruturado, obtidos por deposição química na fase vapor, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/14130-7 - Nanopartículas encapsuladas em dendrímero como plataforma de detecção de biomarcadores de Alzheimer, BE.EP.PD
Assunto(s):Biomarcadores   Doença de Alzheimer   Eletrodos quimicamente modificados

Resumo

A doença de Alzheimer (AD) é uma doença neurodegenerativa crônica. Seu diagnóstico precoce é extremamente necessário e desejável, já que permite o acesso a terapias que amenizam os sintomas desde o início da doença. Os biomarcadores ²-amilóide e ApoE4 são indicadores neuroquímicos que podem ser detectados em fluídos fisiológicos como o fluído cérebro-espinhal, soro e plasma, visando estimar o risco ou a presença da AD. Atualmente, os métodos para a detecção destes biomarcadores nestes fluídos não apresentam alta sensibilidade para diagnósticos em fases iniciais e os custos são incompatíveis com o largo monitoramento necessário. Desta forma, neste projeto propõe-se o desenvolvimento e otimização de um imunossensor eletroquímico (EI) baseado na modificação de eletrodos convencionais e eletrodos impressos com nanofibras poliméricas condutoras (CPN). Estas CPN e os eletrodos modificados serão caracterizados por diversas técnicas. Com as modificações dos eletrodos pretende-se melhorar de forma significativa as propriedades de detecção eletroquímica (ED) dos EI desenvolvidos, pela diminuição do sobrepotencial do eletrodo e pelo aumento de intensidade de corrente e/ou aumento da sensibilidade. Os anticorpos serão ligados às nanoestruturas na superfície do eletrodo por meio da formação de ligações utilizando EDC/NHS. A ED dos biomarcadores ocorre utilizando-se um anticorpo marcado com a enzima horseradish peroxidase (HRP). No sistema de ED, hidroquinona (HQ) é adicionada à solução de detecção como um mediador eletrônico da reação entre a HRP e o peróxido de hidrogênio (H2O2). Na presença de H2O2, a HRP catalisa a oxidação da HQ a quinona, onde a corrente de redução associada a este processo é monitorada. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GHOSH, ANUPAMA; RAZZINO, CLAUDIA DO AMARAL; DASGUPTA, ARCHI; FUJISAWA, KAZUNORI; VIEIRA, LAIS HELENA S.; SUBRAMANIAN, SHRUTI; COSTA, RUBENS S.; LOBO, ANDERSON O.; FERREIRA, ODAIR P.; ROBINSON, JOSHUA; TERRONES, MAURICIO; TERRONES, HUMBERTO; VIANA, BARTOLOMEU C. Structural and electrochemical properties of babassu coconut mesocarp-generated activated carbon and few-layer graphene. Carbon, v. 145, p. 175-186, APR 2019. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.