Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos mecanismos moleculares de toxicidade e tolerância de cepas de C. albicans, C. glabrata e S. mutans a nanopartículas de Ag obtidas pela síntese 'green': uma abordagem à escala do genoma

Processo: 16/22039-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Alberto Carlos Botazzo Delbem
Beneficiário:José Antonio Santos Souza
Supervisor no Exterior: Nuno Goncalo Pereira Mira
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Local de pesquisa : Instituto Superior Técnico (IST), Portugal  
Vinculado à bolsa:15/00825-5 - Efeito do glicerofosfato de cálcio associado a nanopartículas de prata obtidas pela síntese 'Green' sobre biofilmes de Candida albicans e Streptococcus mutans, BP.DR
Assunto(s):Transcriptoma

Resumo

As nanopartículas de prata (AgNPs) tem apresentado atividade antimicrobiana contra diversos microrganismos, tais como: Candida albicans, Candida glabrata, Streptococcus mutans e Staphylococcus aureus. Algumas substâncias tóxicas tem sido utilizadas na síntese das AgNPs. A síntese 'green' é uma nova abordagem para a síntese dessas nanopartículas, devido à baixa toxicidade. Extratos de Punica granatum L. (em especial a casca) tem sido utilizados na obtenção das AgNPs, devido à alta quantidade de compostos fenólicos (ácido elágico, punicalagina) que estão relacionados à redução de íons metálicos. O mecanismo de ação subjacente ao efeito antimicrobiano das AgNPs não está claramente definido. O objetivo deste estudo será contribuir para elucidar esses mecanismos moleculares de toxicidade das AgNPs em Candida albicans, Candida glabrata e em Streptococcus mutans. Para tal, as nanopartículas serão sintetizadas por uma via 'green' utilizando extratos da casca de uma romã (Punica granatum L.). As nanopartículas serão caracterizadas por microscopia eletrônica de varredura (MEV). Análises de MEV, microscopia eletrônica de transmissão (MET) e fluorescência serão realizadas a fim de verificar a interação das nanopartículas com as células. A resposta celular dos microrganismos aos tratamentos com AgNPs será avaliada por meio de análises transcriptômicas usando células planctônicas e biofilmes formados.