Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Estresse térmico e a qualidade do leite em vacas da raça Holandesa: uma abordagem genômica

Processo: 16/15066-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Gerson Barreto Mourão
Beneficiário:Eula Regina Carrara
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Melhoramento genético animal   Estudo de associação genômica ampla   Seleção genética   Estresse térmico   Ácidos graxos

Resumo

O estresse térmico em vacas leiteiras é um fator que contribui para que ocorram mudanças fisiológicas com consequências negativas sobre a produção de leite e seus constituintes, bem como sobre a eficiência reprodutiva dos animais. O uso de ferramentas genômicas pode auxiliar na seleção de animais menos sensíveis ao estresse térmico e também pode contribuir na aceleração do ganho genético. Dessa forma, propõe-se: i) identificar, sob abordagem genômica, vacas menos sensíveis ao estresse térmico; ii) identificar marcadores moleculares associados à sensibilidade dos fenótipos ao estresse térmico; iii) avaliar se esses marcadores podem ser utilizados para predizer o valor genético das vacas para características de produção e de qualidade do leite. Serão utilizados fenótipos de produção e de qualidade do leite de 6.800 vacas da raça Holandesa bem como os genótipos de 1.168 destas vacas. Os genótipos foram obtidos em painéis de baixa (6k, 6.909 polimorfismos de nucleotídeo único, SNP) e média densidade (30k) para 768 e 400 vacas, respectivamente, e imputados para 60.671 SNPs. Dados de temperatura e umidade dois dias antes ao dia do controle leiteiro serão extraídos de estações meteorológicas próximas às fazendas estudadas e utilizados no cálculo do índice de temperatura e umidade (THI). A análise genética será realizada em duas etapas. Primeiramente, um modelo de regressão aleatória será ajustado para avaliar a sensibilidade das características de produção e composição do leite a mudanças no THI. Posteriormente, os valores genéticos estimados para intercepto e inclinação do THI na regressão aleatória para os animais genotipados serão considerados os fenótipos no estudo de associação, o qual será desenvolvido pelo método de regressão Bayes CÀ. A soma dos efeitos dos SNP de acordo com o genótipo será considerada o valor genômico de cada indivíduo. A genotipagem de 825 vacas e a imputação dos SNPs foram realizadas em projetos anteriores apoiados pela FAPESP (10/12929-6; 12/15948-7). Este é um estudo complementar a outros realizados na linha de pesquisa em Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros e espera-se que ele contribua para a compreensão do metabolismo adaptativo dos animais ao estresse térmico por meio da identificação de SNPs associados aos mecanismos de adaptação bem como para a incorporação dessas informações na seleção de reprodutores. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CARRARA, Eula Regina. Estresse térmico e a qualidade do leite em vacas da raça Holandesa: uma abordagem genômica. 2018. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.