Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do movimento ortodôntico na progressão da doença periodontal em condições de saúde sistêmica ou obesidade

Processo: 17/01358-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 19 de junho de 2017
Vigência (Término): 02 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Joni Augusto Cirelli
Beneficiário:Andressa Vilas Boas Nogueira
Supervisor no Exterior: James Deschner
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universität Bonn, Alemanha  
Vinculado à bolsa:14/20715-7 - Influência do movimento ortodôntico na progressão da doença periodontal em condições de saúde sistêmica ou obesidade, BP.PD
Assunto(s):Doenças periodontais   Inflamação   Obesidade

Resumo

Estudos têm sido conduzidos para se entender melhor os efeitos da doença periodontal e do movimento ortodôntico nos tecidos periodontais de forma isolada ou concomitante. Porém, não há na literatura estudos que avaliem esses efeitos nos tecidos periodontais de obesos. O objetivo do presente projeto é avaliar in vitro e in vivo o efeito da força biomecânica na progressão da doença periodontal em condição de saúde sistêmica ou obesidade. No estudo in vitro, células do ligamento periodontal de humanos (hPDL) serão expostas ao Porphyromonas gingivalis ATCC 33277, NAMPT, adiponectina, força cíclica tensional (CTS) e suas combinações por 1 e 3 dias. Após os períodos de tratamento, as células e o meio de cultura serão coletados para análise dos mediadores inflamatórios COX2, IL-6, TNF-±, CCL2, CCR2 e MMP-1 por qPCR e ELISA. No estudo in vivo, um total de 50 ratos serão distribuídos em 5 grupos experimentais: controle (C), doença periodontal experimental (P), indução de obesidade seguido de DP (OP), indução de P seguido de movimento ortodôntico (OMP), indução de O seguido de P e OM (OMOP). Os animais serão sacrificados após 7 dias do início do MO. A perda óssea alveolar será mensurada por análise de microtomografia computadorizada e as células do ligamento periodontal serão capturadas por microdissecção a laser (LCM) para se avaliar o perfil protéico de marcadores da inflamação através da análise proteômica. Além disso, será a síntese protéica dos marcadores mais significantes será validada por meio da imunoistoquímica.