Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel dos miRNAs na esquizofrenia: do genoma à proteína

Processo: 16/19462-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Síntia Iole Nogueira Belangero
Beneficiário:Gabriela Xavier
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/26241-8 - Investigação da expressão de miRNAs em células neurais de pacientes em primeiro episódio psicótico, BE.EP.DD
Assunto(s):Esquizofrenia   MicroRNAs   Genomas   Regulação da expressão gênica   Reação em cadeia da polimerase em tempo real

Resumo

A Esquizofrenia é uma doença complexa e multifatorial que acomete aproximadamente 1% da população mundial. Essa doença desenvolve-se, normalmente, no final da adolescência e início da vida adulta, e seu curso costuma ser crônico e debilitante. Mesmo que os mecanismos que levem à doença ainda sejam desconhecidos, sabe- se que existe grande contribuição genética. Estudos de associação têm mostrado a importância de polimorfismos genéticos para o desenvolvimento da Esquizofrenia, indicando uma verdadeira herança poligênica da doença. Tais alterações no genoma dos pacientes podem atuar na regulação da expressão gênica, por meio da regulação de mecanismos epigenéticos, tais como os miRNA. Esse projeto propõe o estudo de miRNAs relevantes para a etiologia e progressão/tratamento da Esquizofrenia, bem como dos genes por eles regulados. Para tanto, contamos com uma casuística formada por uma coorte de indivíduos em Primeiro Episódio Psicótico (PEP, início da doença) virgens de antipsicóticos (N = 60) e seguidos por dois meses de tratamento com risperidona (N = 60), pacientes com Esquizofrenia crônica (N = 60) e indivíduos controles (N = 120). Primeiramente serão comparados polimorfismos genéticos entre grupos PEP e controle ou pacientes com Esquizofrenia crônica e controle, de forma a identificar potenciais miRNAs alterados na doença. A partir de então, serão selecionados 10 miRNAs para serem avaliados quanto a sua expressão e comparados entre as coortes. Os dados de genotipagem de polimorfismos já foram obtidos de SNPs arrays e serão extraídos, enquanto que a expressão dos genes de miRNAs será verificada por meio de PCR em tempo real utilizando cartões TaqMan® Low Density Array customizados. Além disso, com base nos miRNAs mais estatisticamente significantes, selecionaremos uma proteína alvo para ser avaliada quanto a sua expressão sérica. Com isso, buscamos avançar na compreensão da etiologia e tratamento da Esquizofrenia. A longo prazo, esses achados poderão beneficiar os pacientes por meio de uma melhor qualidade de vida e uma maior sobrevida. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
XAVIER, GABRIELA; SPINDOLA, LETICIA M.; OTA, VANESSA K.; CARVALHO, CAROLINA M.; MAURYA, PAWAN KUMAR; TEMPAKU, PRISCILA F.; MORETTI, PATRICIA N.; MAZOTTI, DIEGO R.; SATO, JOAO RICARDO; BRIETZKE, ELISA; MIGUEL, EURIPEDES CONSTANTINO; GRASSI-OLIVEIRA, RODRIGO; MARI, JAIR; BRESSAN, RODRIGO A.; GADELHA, ARY; PAN, PEDRO M.; BELANGERO, SINTIA IOLE. Effect of male-specific childhood trauma on telomere length. JOURNAL OF PSYCHIATRIC RESEARCH, v. 107, p. 104-109, DEC 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.