Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da viabilidade celular e quantificação de melanina durante o desenvolvimento do modelo de pele tridimensional completo contendo melanócitos

Processo: 17/03849-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise e Controle de Medicamentos
Pesquisador responsável:Ana Luiza Scarano Aguillera Forte
Beneficiário:Flávia Fávero Tangerino
Empresa:Eleve PDI Pesquisa e Desenvolvimento Ltda
Vinculado ao auxílio:16/08453-2 - Estabelecimento de um modelo de pele tridimensional para o desenvolvimento e avaliação da eficácia de formulações cosméticas fotoprotetoras e antienvelhecimento, AP.PIPE
Assunto(s):Cultura de células   Melanócitos   Protetores solares   Pele artificial   Raios ultravioleta   Fotoproteção

Resumo

A exposição à radiação ultravioleta (RUV) promove impactos biológicos na pele e excessos do mesmo é apontado como um dos principais fatores de risco para envelhecimento e desenvolvimento de todos os tipos de câncer de pele. A prevalência do câncer de pele é muito alta, sendo o tipo de câncer mais diagnosticado nos Estados Unidos e correspondendo a pelo menos 25% de todos os tumores registrados no Brasil. O uso de filtros solares é apontado como uma das principais estratégias para redução dos danos da RUV sobre a pele, bem como o câncer. Contudo, os atuais parâmetros utilizados para avaliar a fotoproteção não são representativos para proteção contra os reais danos às estruturas e componentes celulares, incluindo DNA, lipídeos e proteínas, além de exigirem estudos em voluntários, levando a importantes desvantagens no campo ético e financeiro. Adicionalmente, diversas outras substâncias são também muito utilizadas, concomitantemente aos fotoprotetores nos produtos cosméticos atuando como ativos anti-envelhecimento e pouco se sabe sobre os potenciais riscos que essas associações podem desencadear na pele. Neste contexto, a inovação proposta neste projeto está no desenvolvimento de um produto baseado em pele tridimensional contendo melanócitos que é destinado à realização de testes in vitro, onde por ensaios específicos será possível determinar a segurança e eficácia, bem como, os reais danos/benefícios de fotoprotetores e produtos antienvelhecimento. Além de permitir a real quantificação dos danos que a radiação UV causam na pele mesmo na presença de filtros solares (uma vez que a incidência de câncer de pele tem sido elevada concomitantemente com o aumento do uso de fotoprotetores), a utilização destes produtos inovadores vem de encontro às necessidades clamadas por normativas internacionais, como "Cosmetics Directive" da União Européia desde 2004, bem como normativas nacionais e estaduais para a minimização do uso de animais em estudos pré-clínicos (Brasil, 2014). Assim, estes produtos, modelo de pele tridimensional, que apresentam características inovadoras no âmbito mundial por mimetizarem a estrutura completa da pele incluindo a presença fundamental de melanócitos (já que a produção de melanina está intimamente relacionada com os efeitos da RUV na pele), poderá ser empregada para a realização de estudos pré-clínicos em larga escala na tentativa de promover maior segurança e eficácia de fotoprotetores atendendo empresas cosméticas, cuja demanda é crescente, além da obrigação legal do fim de testes com animais. (AU)