Busca avançada
Ano de início
Entree

Comportamento de células endoteliais e muscular submetidas ao shear stress: um panorama celular, ultraestrutural e bioquímico

Processo: 16/22270-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Willian Fernando Zambuzzi
Beneficiário:Anderson Moreira Gomes
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/22689-3 - Sinalização parácrina mediada por microvesículas e proteínas entre células ósseas e endoteliais durante o desenvolvimento e regeneração do tecido ósseo, AP.JP
Assunto(s):Epigênese genética   Células endoteliais

Resumo

Nossa proposta central tem sido desenvolver metodologias capazes de desvendar mecanismos parácrinos envolvidos no crosstalk entre células endoteliais e células osteoprogenitoras, com o intuito de listar o repertório de mecanismos envolvidos neste contexto. Boa parte destas metodologias tem sido desenvolvida submetendo células endoteliais ao modelo de Shear-Stress (SS) e, posteriormente, o meio condicionado utilizado para o tratamento de células indiferenciadas, para conhecer seu potencial osteopromotor. No entanto, faz-se necessário a caracterização celular, ultraestrutural e molecular deste modelo SS. Apesar das células endoteliais responderem bem a estímulos químicos agonistas que estimulam os receptores acoplados a proteína G, estas também respondem a forças mecânicas produzidas pelo fluxo sanguíneo, sintetizando e secretando fatores químicos envolvidos em numerosos processos fisiológicos, dentre os quais podemos citar a coagulação, fibrinólise, angiogênese e a manutenção do tônus vascular; além de processos íntimos de osteogênese como proposto por Kusumbe et al., 2014. Neste sentido, nossa proposta será caracterizar as alterações celulares e moleculares promovidas pela tensão de cisalhamento (Shear stress) em células endoteliais (arterial e venosa) e de musculatura lisa. Especificamente, pretendemos: 1. A caracterização proteômica do secretoma de células endoteliais e muscular; 2. Analisar potenciais vias de transdução de sinais envolvidas com rearranjo dos filamentos de actina; 3. Estimar a influencia do modelo em mecanismos de remodelagem da matriz extracelular através da expressão e atividade das metaloproteinases de matriz (MMP2 e MMP9); 4. Investigar o efeito do modelo na morfologia e ultraestruturas dessas células, através de microscopia eletrônica e fluorescência; 5. Determinação de mecanismos epigenéticos através da análise dos níveis de 5meC e 5hmeC. Uma garantia de condução deste projeto é o investimento de R$ 1,3 milhão pela FAPESP (JP-2014/22689-3) para a montagem do LaBIO: Laboratório de Bioensaios e Dinâmica Celular, aqui mesmo no Dep. de Quimica e Bioquimica, sob nossa responsabilidade. Estabelecer eventos bioquímicos, celulares e ultraestruturais de células endoteliais (arterial e venosa) e células de musculatura lisa, submetidas, ou não, ao modelo de Shear-Stress, será de extrema relevância neste momento para estabelecermos o repertório de proteínas sintetizadas e secretadas em função ao modelo SS, agregando resultados importantes à nossa linha de pesquisa, onde os novos projetos se inserem. Outro fator importante, que merece destaque, será o caráter de formação de recursos humanos, alinhado ao desenvolvimento do grupo nosso grupo de pesquisa aqui na UNESP-Botucatu-SP. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.