Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do sexo na biomecânica da corrida e na variabilidade de coordenação em diferentes faixas etárias

Processo: 17/05567-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 05 de junho de 2017
Vigência (Término): 30 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Fábio Viadanna Serrão
Beneficiário:Mariana Carvalho de Souza
Supervisor no Exterior: Joseph Hamill
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Massachusetts, Amherst (UMass Amherst), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:13/20400-3 - A influência do envelhecimento e do sexo na cinemática articular e na ativação muscular do membro inferior de corredores, BP.DD

Resumo

A corrida é uma forma comum de exercício e quase 42 milhões de americanos são considerados corredores hoje. Entretanto, uma alta incidência de lesões músculo-esqueléticas está associada à corrida. Corredoras mulheres são mais propensas a sofrer determinadas lesões em comparação aos corredores homens. Além disso, o número de lesões relacionadas à corrida aumentou em corredores de meia-idade e idosos quando comparados aos jovens. Entretanto, ainda não são bem compreendidas as diferenças entre corredores homens e mulheres de diferentes faixas etárias. Sabe-se que a análise da variabilidade de coordenação do movimento permite uma melhor compreensão do movimento. Ao invés de olhar para o movimento da própria articulação, a coordenação de segmentos representa a relação entre os segmentos que compõem uma dada articulação. Assim, o objetivo do estudo foi avaliar em homens e mulheres a influência da idade na cinemática de corrida e na variabilidade de coordenação. Cinquenta e sete corredores foram selecionados para este estudo (30 homens e 27 mulheres) separados em 6 grupos por idade e sexo. A cinemática do membro inferior foi registrada a 240 Hz usando um sistema de captura de movimento de 7 câmeras. As variáveis cinemáticas de interesse incluíram os ângulos de segmento do retropé, tíbia, fêmur e pelve, no contato inicial, pico angular na fase de apoio nos três planos de movimento e ângulos articulares do tornozelo, joelho e quadril no contato inicial, pico angular na fase de apoio e amplitude de movimento na fase de apoio nos três planos de movimento. Foi utilizada uma técnica de codificação de vector modificada para calcular a variabilidade de coordenação de segmentos. Os ângulos articulares do membro inferior e a variabilidade da coordenação do segmento foram comparados entre os grupos de idade e de sexo. Para testar a hipótese do estudo, anova one-way será usada para testar efeitos significativos de sexo com cada faixa etária, nível de significânica de 0,05. o teste de Bonferroni será utilizado para a identificação das diferenças específicas.