Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos moleculares envolvidos no remodelamento da matriz extracelular do músculo esquelético de pacientes obesos submetidos à cirurgia bariátrica: papel da resistência à insulina e efeitos do treinamento físico

Processo: 17/01427-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 05 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 04 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Bruno Gualano
Beneficiário:Wagner Silva Dantas
Supervisor no Exterior: John Patrick Kirwan
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Cleveland Clinic Foundation, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/02835-8 - Efeitos do treinamento físico na resistência à insulina e oxidação lipídica no músculo esquelético em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica: um estudo clínico randomizado, BP.DR
Assunto(s):Exercício físico   Resistência à insulina   Obesidade   Fisiologia do exercício

Resumo

Hoje em dia, a cirurgia bariátrica é considerada um dos principais tratamentos para a obesidade, uma vez que o tratamento medicamentoso associado com mudanças de estilo de vida é ineficaz para promover uma redução significativa do peso corporal. Reduzir o peso corporal (através de cirurgia bariátrica ou não) e o treinamento físico são importantes opções de tratamento para o manejo clínico da obesidade. A idéia de que o ambiente vascular pode ser um importante fator contribuinte à ação de resistência à insulina no músculo esquelético surgiu a partir de estudos com os índios obesos Pima, onde foi demonstrado que a resistência à insulina foi inversamente associada com a densidade capilar no músculo esquelético desta população. De fato, a redução da densidade capilar no músculo esquelético (conhecida como rarefação microvascular) em pacientes obesos está associada à diminuição da sensibilidade à ação da insulina no mesmo território e parece ser diretamente proporcional ao aumento da adiposidade.A discussão permanece sobre seus respectivos efeitos sobre a resistência à insulina e rarefação capilar sobre o músculo esquelético. No tópico de cirurgia bariátrica, estudos recentes mostraram uma discreta melhora na sensibilidade à insulina no músculo esquelético em pacientes obesos não diabéticos, apesar de uma pronunciada redução no peso corporal nesses pacientes.Até o momento, nenhum estudo avaliou a relação entre resistência à insulina e rarefação microvascular no músculo esquelético de pacientes obesos submetidos a cirurgia bariátrica. O exercício físico mostrou resultados encorajadores em relação ao aumento da capilarização no músculo esquelético em indivíduos eutróficos e pacientes com resistência à insulina. Entretanto, não há evidências sobre o papel do treinamento físico na melhora da resistência à insulina em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica, bem como a relação com a rarefacção microvascular no músculo esquelético dessa população. Portanto, a compreensão das respostas fisiológicas, moleculares e clínicas ao treinamento físico em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica pode ser considerada de vital importância para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas (drogas ou exercícios) dedicadas ao tratamento da resistência à insulina presente nesta doença. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MURAI, IGOR H.; ROSCHEL, HAMILTON; DANTAS, WAGNER S.; GIL, SAULO; MEREGE-FILHO, CARLOS; DE CLEVA, ROBERTO; DE SA-PINTO, ANA L.; LIMA, FERNANDA; SANTO, MARCO A.; BENATTI, FABIANA B.; KIRWAN, JOHN P.; PEREIRA, ROSA M.; GUALANO, BRUNO. Exercise Mitigates Bone Loss in Women With Severe Obesity After Roux-en-Y Gastric Bypass: A Randomized Controlled Trial. JOURNAL OF CLINICAL ENDOCRINOLOGY & METABOLISM, v. 104, n. 10, p. 4639-4650, OCT 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.