Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação da proporção do movimento umeral e inclinação da escápula durante elevação e depressão do braço em sujeitos sem dor no ombro

Processo: 16/10521-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Paula Rezende Camargo
Beneficiário:Vander Gava
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Escápula   Ombro   Fisioterapia   Articulações   Cinemática

Resumo

O ritmo escápulo-umeral é descrito na literatura considerando o movimento de elevação da glenoumeral e a rotação superior da escapulotorácica. No entanto, não foram encontrados estudos que descrevessem o ritmo escápulo-umeral considerando os outros movimentos da escápula em sujeitos assintomáticos. Tal descrição pode contribuir para uma avaliação mais completa e para elaboração de protocolos de tratamentos mais específicos na prática clínica. Sendo assim, o objetivo do presente estudo será determinar a relação entre o movimento de elevação e depressão da articulação glenoumeral associado à inclinação posterior da escápula no plano sagital. Participarão do estudo 100 indivíduos assintomáticos para dor no ombro entre 18 e 60 anos. A cinemática escapular será avaliada por meio de um dispositivo de rastreamento eletromagnético. Os sujeitos realizarão 3 repetições de elevação e depressão do braço no plano sagital e a média das repetições será utilizada para a análise de dados. A análise estatística dependerá da normalidade ou não dos dados, que será avaliada por meio do teste Kolmogorov-Smirnov. A análise das respostas será realizada com base nas médias dos três movimentos de elevação e nas médias dos três movimentos de depressão do braço no plano sagital. Para o ritmo escápulo-umeral será utilizada uma ANOVA 2-way de medidas repetidas, ou o seu correspondente não-paramétrico, para verificar se existirá interação intervalo (30°- 60°, 60°- 90°, 90°- 120°, 120° -90°, 90°- 60°, 60°- 30°) x fase (elevação e depressão) ou efeitos principais de intervalo ou fase. O nível de significância será estabelecido em 5%. (AU)