Busca avançada
Ano de início
Entree

Variabilidade sazonal da composição química e atividade antioxidante de extratos de folhas de Maytenus ilicifolia Mart. ex Reiss, Maytenus aquifolium Mart (Celastraceae) e seus híbridos

Processo: 17/00155-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Alexandra Christine Helena Frankland Sawaya
Beneficiário:Elisa Ribeiro Miranda Antunes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Sazonalidade

Resumo

As espécies, Maytenus ilicifolia e Maytenus aquifolium, popularmente conhecidas como "Espinheira Santa", são largamente utilizadas na medicina tradicional brasileira para tratar gastrites e dispepsias. Vários estudos comprovaram que tais espécies possuem atividade gastroprotetora e antiulcerogênica, cuja ação pode estar relacionada a suas propriedades antioxidantes. De acordo com alguns estudos, a elevada produção de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio ocasiona alterações celulares graves caracterizando um quadro de estresse oxidativo. Portanto, o comprometimento do sistema de defesa antioxidante, tem sido associado à patogênese da lesão da mucosa gástrica relacionada ao estresse. Porém, para obter um fitoterápico de alta qualidade e propor critérios de padronização é imprescindível conhecer a variabilidade química da espécie vegetal utilizada como matéria prima. Com relação às flutuações sazonais na composição química do gênero Maytenus, há apenas um estudo na literatura. O presente trabalho visa identificar possíveis variações sazonais da composição química dos extratos destas espécies e seus híbridos, com a finalidade de indicar as épocas mais favoráveis para a colheita das mesmas, visando obter fitoterápicos mais padronizados para o tratamento de distúrbios gástricos. Para isso, serão realizadas coletas de folhas de 5 indivíduos de M. ilifolia, de M. aquifolium e híbridos resultantes do cruzamento de ambas, mensalmente ao longo de um ano. Seus extratos serão analisados via cromatografia líquida de ultra-alta eficiência com espectrometria de massas (UHPLC-MS) além de serem submetidos a testes de atividade antioxidante por DPPH e ORAC. Por ultimo serão correlacionados os dados de composição e atividade para identificar aquelas cujos extratos apresentem maior atividade. (AU)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.